ANÁLISE DO ENSINO DA ANATOMIA DO SISTEMA MUSCULOESQUELÉTICO: AVALIAÇÃO FORMATIVA E SOMATIVA

Francielli Peixoto de Carvalho Andrade, Carla Nunes Ferreira, Leila Sand Pereira Santos, Tatiana dos Santos Moreira, Luiz Felipe dos Santos, Gabrielle Santos Maroto, Marcela Ralin de Carvalho Deda Costa

Resumo


INTRODUÇÃO: O projeto Compreendendo o corpo humano: ensino da anatomia humana como forma de integração entre a escola e a universidade é realizado no Colégio Estadual Silvio Romero, no município de Lagarto-SE. São utilizadas metodologias ativas onde o aluno torna-se ativo no processo de aprendizado e os discentes da UFS desempenham o papel de professor facilitador, buscando aproximar a escola com a universidade. OBJETIVO: O objetivo deste trabalho é analisar a eficácia das metodologias usadas nas aulas de anatomia do sistema musculoesquelético por meio das avaliações formativas e somativas. METODOLOGIA: Se inscreveram no primeiro módulo 52 alunos, dos quais somente 17 participaram das avaliações. Baseou-se em quatro aulas (uma aula por semana) as quais abordaram os seguintes assuntos: sistema ósseo e muscular dos membros inferiores, superiores e tronco. Os discentes da UFS utilizaram como estratégia avaliativa duas avaliações, uma formativa e outra somativa e ambas são aplicadas na primeira e última aula do correspondente módulo. A avaliação formativa consiste na atribuição de uma nota para o aluno de acordo com seu desempenho levando em conta alguns itens, que são a relação com os membros do grupo; relação com o orientador da atividade; expressar-se de forma clara, objetiva e organizada; utilizar conhecimentos prévios; e interesse e habilidade na aprendizagem da atividade proposta. A avaliação somativa consiste na aplicação de uma prova contendo quatro questões objetivas referentes ao conteúdo do módulo. Na primeira aula foram analisados os conhecimentos prévios dos alunos e na última aula os conhecimentos adquiridos ao longo do módulo. RESULTADO: Em relação à avaliação formativa obteve-se uma média geral para os alunos na primeira aula de 7,7 e para a última aula 7,5. Levando em conta os percentuais de acerto por questão durante a aplicação da avaliação somativa obteve-se: para a questão 1 na primeira aplicação 29,4% e na segunda 70,6%; questão 2 na primeira aplicação 11,8% e na segunda 53%; questão 3 na primeira aplicação 23,5% e na segunda 64,7%; e na questão 4 na primeira aplicação 17,6% e na segunda 35,3%. Considerando os percentuais gerais de acerto para a primeira avaliação somativa obteve 20,60% e para a segunda 55,90%. CONCLUSÃO: Com base nos resultados alcançados na avaliação somativa houve avanços em termos percentuais no aprendizado dos alunos, já em relação à formativa obtivemos médias bem parecidas. Isso deixa evidente que o uso das metodologias ativas é uma forma eficaz de ensino.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.