AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO PULMONAR EM INDIVÍDUOS COM A DOENÇA DE CHARCOT-MARIE-TOOTH TIPO 2

Catarina Andrade Garcez Cajueiro, Paula Santos Nunes, Iandra Maria Pinheiro de França Costa, Lidiane Carine Lima Santos Barreto, Cynthia Coelho de Souza, Viviane Nascimento Brandão Lima, Adriano Antunes de Souza Araújo, Eduardo Luis de Aquino Neves

Resumo


INTRODUÇÃO: A doença de Charcot-Marie-Tooth (CMT) é a neuropatia periférica hereditária mais prevalente em todo mundo e caracteriza-se pela fraqueza muscular e hipoestesia distal dos membros podendo estar associada à hipotonia, diminuição dos reflexos profundos e, nas formais mais graves e tardias, alterações respiratórias. OBJETIVOS: Objetivo: avaliar as possíveis alterações respiratórias em indivíduos de uma família multigeracional do interior do estado de Sergipe com a doença de Charcot-Marie-Tooth tipo 2. METODOLOGIA: foram realizadas a espirometria, a manovacuometria e o questionário de avaliação de dispneia (MRC). Além disso, foi avaliada a qualidade de vida dos indivíduos da pesquisa utilizando o questionário Short-Form 36 (SF-36). Foram incluídos na pesquisa 20 indivíduos no grupo controle (GC) e 18 no grupo com a doença de Charcot-Marie-Tooth tipo 2 (GCMT2). RESULTADOS: em relação à idade e as medidas antropométricas não foi observada diferença significativa entre os grupos. Através da espirometria verificou-se diferença significativa entre os grupos nos quesitos VEF1(p < 0,0002), CVF (p < 0,0002) e FEF25%-75% (p= 0,0017) no momento pré- broncodilatador. No momento pós-broncodilatador a análise dos grupos não mostrou diferença significativa entre nos quesitos VEF1(p < 0,0001), CVF (p < 0,0001) e FEF25%-75% (p= 0,0001). Na avaliação da força muscular a medida de pressão expiratória máxima (PEmáx) demonstrou estar precocemente reduzida em indivíduos com doença de CMT. A presença de sinais piramidais não influenciou no padrão respiratório embora o tamanho da amostra possa ter influenciado os resultados. A qualidade de vida não demonstrou ter influência naqueles indivíduos com pior desempenho na avaliação das pressões respiratórias CONCLUSÃO: A espirometria e a manovacuometria, por não serem invasivas e serem de fácil execução, devem ser indicadas em pacientes com doença de CMT que apresentam pontuação elevada no CMTNS Palavras-chave: Charcot-Marie-Tooth tipo 2, teste de função respiratória, qualidade de vida.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.