Vivências na graduação em Psicologia: discutindo a saúde mental dos universitários

Autores

  • Carlos Henrique Barbosa Rozeira Centro Universitário Redentor

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2018v4n4p%25p

Resumo

Objetivo: identificar e discutir fatores relacionados à saúde mental de estudantes universitários. Métodos: trata-se de um relato de experiência, realizado por acadêmicos do Curso de Psicologia do Centro Universitário Redentor (UniRedentor), ocorrido em outubro e novembro de 2017. As informações foram coletadas por meio de observação, aplicação de instrumentos e análise documental. Para fundamentar a pesquisa foi inicialmente realizado um levantamento bibliográfico em literatura científica, a partir da compilação de trabalhos publicados em revistas, livros especializados, pesquisas institucionais, bem como outras fontes necessárias. Resultados: Algumas das atividades desta prática foram aplicações de instrumentos de entrevistas, assim os resultados da pesquisa corroboram as afirmativas tangíveis ao sofrimento psíquico, onde mais de 70% (setenta por cento) dos universitários indicaram alteração do estado humoral durante o período de avaliações. Revelou-se também que 69% (sessenta e nove por cento) dos alunos desconhecem o verdadeiro sentido de estar saudável e 59% (cinquenta e nove por cento) consideram o ingresso na universidade como fator atenuador de problemas na saúde mental.  Conclusões: É importante o desenvolvimento de ações de apoio psicológico aos universitários com efetiva atividade e divulgação, objetivando diminuir problemas psíquicos, o que poderá se refletir na diminuição da prevalência da sintomatologia depressiva, de ansiedade, ideação suicida e dificuldades de relacionamento, contribuindo para que o aluno tenha uma qualidade de vida mais saudável durante sua fase de construção de conhecimentos.

Biografia do Autor

Carlos Henrique Barbosa Rozeira, Centro Universitário Redentor

Graduado em Sistemas de InformaçãoGraduando em Psicologia

Referências

Graner, KM, Ramos-Cerqueira, A.T.A.. Revisão integrativa: Sofrimento psíquico em estudantes universitários e fatores associados.. Cien Saude Colet. Disponível em:http://www.cienciaesaudecoletiva.com.br/artigos/revisao-integrativa-sofrimento-psiquico-em-estudantes-universitarios-e-fatores-associados/16374

PAPALIA, D. E., OLDS, S. W., & FELDMAN, R. D. Desenvolvimento humano (10a ed.) Porto Alegre: Artmed. 2010.

MERCURI, E.; POLYDORO, S. A. J. (Org.). Estudante universitário: características e experiências de formação. Taubaté: Cabral Editora e Livraria Universitária. 2004.

ALMEIDA, L. S. Transição, adaptação acadêmica e êxito escolar no ensino superior. Revista Galego-Portuguesa de Psicoloxía e Educación, v.15, n.2, p. 203-215. 2007.

MASETTO, Marcos. Docência Universitária: repensando a aula. In: TEODORO, António e VASCONCELOS, Maria Lucia. Ensinar e aprender no ensino superior. Por uma epistemologia da curiosidade na formação universitária. 2. ed. São Paulo: Mackenzie; Cortez, 2005. p.80.

Brooks, J. G., & Brooks, M. G. (1993). The case for constructivist classrooms. In search of understanding. Virginia: Association for Supervision and Curriculum Development. p. 13. 1993.

IV Pesquisa Do Perfil Socioeconômico e Cultural dos Estudantes de Graduação das IFES - Andifes. 2004. Disponível em: http://www.andifes.org.br/iv-pesquisa-perfil-socioeconomico-e-cultural-dos-estudantes-de-graduacao/

Fabiana Cambricoli e Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo , 16 Setembro 2017 | 19h00 - Aumento De Transtornos Mentais Entre Jovens Preocupa Universidades. Disponível em: http://saude.estadao.com.br/noticias/geral,aumento-de-transtornos-mentais-entre-jovens-preocupa-universidades,70002003562

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE . A saúde mental pelo prisma da saúde pública. Relatório sobre a saúde no mundo 2001: Saúde mental: nova concepção, nova esperança. Genebra: OPAS/OMS, p.1-16, 2001.

Nogueira-Martins LS Saúde Mental dos profissionais da saúde Rev Bras Med Trab 2003; 1(1), 56-68.

VILELA EM, MENDES IJM. Interdisciplinaridade e saúde: estudo bibliográfico. Rev Latino-am Enfermagem, julho-agosto 2003; 11(4):525-31.

BOCK, Ana Mercês Bahia. A perspectiva histórica da subjetividade: uma exigência para la psicologia atual. Psicologia para América Latina, n. 1, p. 0-0, 2004.

VALLE, Luiza Elena Leite Ribeiro do. Psicologia Escolar: um duplo desafio. Psicologia: ciência e profissão, v. 23, n. 1, p. 22-29, 2003.

TEIXEIRA, Marco Antônio Pereira. A experiência de transição entre a universidade e o mercado de trabalho na adultez jovem. 2002.

CHAUÍ, Marilena. A universidade pública sob nova perspectiva. Revista brasileira de educação, v. 24, p. 5-15, 2003.

Matos GC, Nascimento AC. Impacto dos medicamentos como agentes de intoxicações humanas. Revista Racine 2008 Jan;106(5):59-66.

Lopes, W. F. L. et al. A prática da automedicação entre estudantes de uma instituição de ensino superior de Teresina-PI. Revista Interdisciplinar, Teresina 2014;7(1):17-24.

Meira M. E. M., Antunes M. A. Ma. Psicologia escolar: teorias críticas 2011:79-103.

World Health Organization. The role of the pharmacist in self-care and self-medication. The Hangue: World Health Organization [Internet document] 1998 [cited 2010 Feb 22]; [21 p.]. Disponível em: http://www.opas.org.br/medicamentos/site/UploadArq/who-dap-98-13.pdf

The International Pharmaceutical Federation, The World Self-Medication Industry. Responsible Self-Medication [Internet document] 1999. [cited 2010 Feb 23]; [3p]. Disponível em: http://www.wsmi.org/pdf/fip.pdf

Organización Mundial de la Salud. Promoción del uso racional de medicamentos: componentes centrales. Genebra: Organización Mundial de la Salud 2002. Disponível em: http://www.who.int/medicinedocs/collect/edmweb/pdf/s4874s/s4874s.pdf

Associação Médica Brasileira. Automedicação. Rev Assoc Med Bras 2001; 47(4):269-270.

Paim J, Travassos C, Almeida C, Bahia L, Macinko J. The Brazilian health system: history, advances, and challenges. Lancet. 2011;377(9779):1778-97.

AMARAL, Márcia A. do Atenção à saúde mental na rede básica: estudo sobre a eficácia do modelo assistencial Departamento de Medicina Preventiva e Social da 29 Faculdade de Medicina da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP – Brasil Resumo da dissertação de mestrado em Saúde Coletiva, apresentada à Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP, em 2005.

MORO, Adriana; VALLE, Juliana Barros de & LIMA, Leandro Prates de. Sintomas depressivos nos estudantes de medicina da Universidade da região de Joinville (SC). Revista Brasileira de Educação Médica, v 29, n 2, maio/agosto, Rio de Janeiro, 2005.

OCDE. Manual de Oslo: diretrizes para a coleta e interpretação de dados sobre inovação tecnológica. Publicado pela FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos),3ª Edição, 2006.

Collares C. A. L. & Moysés M. A. A. Novas capturas, antigos diagnósticos da era dos transtornos: memórias do II seminário internacional educação medicalizada: dislexia, TDAH e outros supostos transtornos, 2017;9-13.

Downloads

Publicado

2019-06-30

Edição

Seção

Relato de Experiência