A importância da humanização do cuidado em centro cirúrgico

Cristhian Antônio Brezolin, Hugo Santos Lemos de Mendonça, Marcia Valeria Rosa Lima, Mariana Brito de Souza Nunes, Richely Ritta Menaguali, Letícia de Carvalho

Resumo


Objetivos: relatar a experiência de um projeto de extensão que visou discutir com a equipe de enfermagem de um hospital universitário a humanização da assistência no centro cirúrgico. Métodos: pesquisa de campo exploratória, sendo utilizada de coleta de dados em grupo focal e aplicação de questionário. O cenário foi enfermarias cirúrgicas, masculina e feminina, e centro cirúrgico de um hospital universitário no município de Niterói/RJ, período de abril a dezembro de 2015. Os sujeitos foram 23 profissionais da equipe de enfermagem do centro cirúrgico e 8 pacientes em pós-operatório. Com os profissionais da equipe de enfermagem realizou-se 4 encontros com a técnica de grupo focal, abordando temáticas de humanização. Para os pacientes em pós-operatório realizou-se aplicação de questionário referente ao acolhimento pelos profissionais no centro cirúrgico. Os dados foram analisados e os resultados agrupados em categorias. Resultados: o acolhimento do usuário no centro cirúrgico é um cuidado fundamental, na medida em que se reconhece o ser humano valorizando seus sentimentos e emoções. A mecanização da assistência pode comprometer o atendimento humanizado e a tecnologia parece contribuir de forma pouco significativa para a prática do cuidado humanizado. A busca de melhoria da qualidade da assistência contribui para que novos modelos sejam adotados, nos quais o conceito de humanização tem lugar garantido. Conclusões: o projeto permitiu sensibilizar a equipe de enfermagem em centro cirúrgico acerca da humanização, facilitando a discussão e reflexão em relação a maneiras de se desenvolver uma prática humanizada que atenda às necessidades holísticas daqueles sob hospitalização.


Palavras-chave


Enfermagem; Humanização da assistência; Centro Cirúrgico

Texto completo:

PORTUGUÊS

Referências


Cotta RMM et al. Debates atuais em humanização e saúde: quem somos nós? Ciênc. Saúde Colet. 2013; 18(1):171-179.

Mendonça ET et al. Concepções de técnicos de enfermagem acerca da humanização da assistência em centro cirúrgico. R. Enferm. Cent. O. Min. 2016; 6(3):2389-2397.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização. Cadernos HumanizaSUS – Atenção Hospitalar. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras. Plano Nacional de Extensão Universitária – 2000-2001. Edição Atualizada. Disponível em: http://www.museunacional.ufrj.br/dir/extensao/docs/Plano%20Nacional%20de%20Extensao%20Universitaria.pdf Acesso em: 7 jan. 2019.

Bezerra JTM. Humanização da assistência do enfermeiro em centro cirúrgico. Brasília. Trabalho de conclusão de curso (Graduação). Faculdade de Ciências da Saúde. Centro Universitário de Brasília; 2007.

Giron MN, Berardinelli LMM, Santo FHE. O acolhimento no centro cirúrgico na perspectiva do usuário e a política nacional de humanização. Rev. enferm. UERJ. 2013; 21(6):766-771.

Oliveira MAC, Pereira IC. Atributos essenciais da Atenção Primária e a Estratégia Saúde da Família. Rev. bras. enferm. 2013; 66(esp):158-164.

Jorge Filho I. Cirurgia geral: pré e pós-operatório. 2. ed. São Paulo: Atheneu; 2011.




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2020v6n2p%25p

DOI (PORTUGUÊS): https://doi.org/10.18310/2446-48132020v6n2.2442g530

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. Novidade 2019: a Saúde em Redes foi aprovada para indexação na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorimDOAJ; COLECIONASUS