Práticas teatrais na saúde mental: novas possibilidades de cuidado por meio do Teatro do Oprimido

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2021v7n3p285-297

Palavras-chave:

Saúde mental, Terapias complementares, Arte

Resumo

Esse ensaio tem como objetivo refletir sobre as possibilidades terapêuticas na oferta de práticas teatrais, a partir do Teatro do Oprimido, nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Argumentamos que tal modalidade teatral dialoga com a humanização da saúde mental, construída a partir da Reforma Psiquiátrica; bem como dialoga com novas perspectivas de fazer saúde, com a ampliação de práticas regulamentadas por meio da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares. Apresentando as similaridades entres estes três tópicos – Teatro do Oprimido, Reforma Psiquiátrica, Práticas Integrativas e Complementares –, a análise permite observar que a troca de saberes entre as áreas da arte e da saúde permite a construção de um processo de intervenção e cuidado mais humanizado, que ultrapasse a intervenção focada apenas no transtorno, além de incentivar a construção de autonomia nos usuários. Desse modo, as atividades moldadas a partir do Teatro do Oprimido podem ser grandes aliadas terapêuticas no campo da saúde mental.

Referências

Telesi Junior E. Práticas Integrativas e Complementares em saúde, uma nova eficácia para o SUS. Estud. av. [internet]. 2016 Abr. [acesso 2020 jan 29] 30(86): 99-112 Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142016000100099

Ministério da Saúde (Brasil). Portaria n° 971, de 03 de maio de 2006. Aprova a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde.

Luz M. Racionalidades Médicas e Terapêuticas Alternativas. Rio de Janeiro: UERJ; 1993.

Brasil. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Tesser C. Sousa IM. Atenção Primária, Atenção Psicossocial, Práticas Integrativas e Complementares e suas afinidades eletivas. Saúde soc. [internet] 2012 Jun. [acesso 2020 abr 29] 21(20): 336-350. Disponível em: http://www.periodicos.usp.br/sausoc/article/view/48712

Barros M. Ferreira L. A arte como estratégia de intervenção psicoterapêutica. Psicol. Saúde Debate. [internet] 2016 Nov. [acesso 2020 04 jun] 2(supl2):1-4. Disponível em: file:///C:/Users/VAIO/Downloads/52-Manuscrito%20do%20artigo-76-1-10-20170824.pdf

Silva D. O Teatro como mecanismo terapêutico e psicoeducativo para melhoria da qualidade de vida em moradores de rua. In: Anais do 8° Congresso Nacional de Educação 2017 Ago 28-31; Curitiba. p. 23221-23229.

Boal A. O arco-íris do desejo: o método Boal de teatro e terapia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira; 1996.

Gomes A. Paiva E. Valdés M. Frota M, et al. Fenomenologia, Humanização e Promoção de Saúde: uma proposta de articulação. Saúde soc. [internet] 2008 Mar. [acesso 2020 abr 29] 17( 1 ): 143-152. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902008000100013&lng=en

Guimarães A. Borba L. Larocca L, et al. Tratamento em saúde mental no modelo manicomial (1960 a 2000): histórias narradas por profissionais de enfermagem. Texto & contexto enferm. [internet] 2013 Abr/Jun [acesso 2020 mai 20] 22( 2 ): 361-369. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072013000200012&lng=en

Lima A. Os movimentos progressivos-regressivos da reforma psiquiátrica antimanicomial no Brasil: uma análise da saúde mental na perspectiva da psicologia social. Salud & sociedad. [internet] 2010 Set-Dez [acesso 2020 abr 22] 1(3):165-177. Disponível em: https://revistas.ucn.cl/index.php/saludysociedad/article/view/795

Arbex D. Holocausto Brasileiro. 17 ed. São Paulo: Geração Editorial; 2016.

Amarante P. Saúde Mental e atenção psicossocial. 3 ed. Rio de Janeiro: FioCruz; 2011.

Amarante P. Uma aventura no Manicômio: a trajetória de Franco Basaglia. Hist. cienc. saúde-Manguinho [internet] 1994 Out [acesso 2020 mai 20] 1( 1 ): 61-77. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59701994000100006&lng=en

Goffman E. Manicômios, prisões e conventos. 4 ed. São Paulo: Editora Perspectiva; 1961.

Rendeiro CH. A execução da medida de segurança a partir do modelo proposto pela Lei 10.216/2001: a quebra do mito da periculosidade. 2013. Disponível em: http://www.susipe.pa.gov.br/sites/default/files/

Brasil. Lei n° 10.216, de 06 de Abril de 2001. Presidência da República.

Ministério da Saúde (Brasil). Portaria n° 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

Santos RC. Pessoa Junior JM. Miranda FA. Rede de atenção psicossocial: adequação dos papéis e funções desempenhados pelos profissionais. Rev. Gaúcha Enferm. [internet] 2018 Jul [acesso 2020 mar 04] 39: e57448. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472018000100415&lng=en

Moreira M. Lustosa A. Dutra F, et al. Políticas Públicas de Humanização: revisão integrativa da literatura. Ciênc. Saúde Colet. [internet] 2015 Out [acesso 2020 abr 29] 20( 10 ): 3231-3242. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015001003231&lng=pt

Quinderé PH. Jorge MS. Franco T. Rede de Atenção Psicossocial: qual o lugar da saúde mental? Physis (Rio J.) [internet] 2014 Jan-Mar [acesso 2020 jun 02] 24(1):253-271. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/physis/2014.v24n1/253-271/#

Brasil. Relatório de Gestão 2006/2010: Práticas Integrativas e Complementares no SUS. Brasília: Coordenação Nacional de Práticas Integrativas e Complementares; 2011.

Tesser C. Práticas Complementares, racionalidades médicas e promoção da saúde: contribuições pouco exploradas. Cad. Saúde Pública [internet] 2009 Ago [acesso 2020 jun 02] 25( 8 ): 1732-1742. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009000800009&lng=en

Tesser C. Barros N. Medicalização social e medicina alternativa e complementar: pluralização terapêutica do Sistema Único de Saúde. Rev. Saúde Pública [internet] 2008 [acesso 2020 mar 02] 42(5): 914-920. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/rsp/2008.v42n5/914-920/pt/#ModalArticles

Buss P. Promoção da saúde e qualidade de vida. Ciênc. Saude Colet. [internet] 2000 [acesso em 2020 jun 08] 5(1):163-177. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/csc/2000.v5n1/163-177/#ModalArticles

Pereira L. Práticas Integrativas e Complementares na Atenção Básica à Saúde: na direção da autonomia do usuário. Florianópolis. Monografia [especialização em Saúde da Família] - Universidade Federal de Santa Catarina; 2016.

Alvim N. Práticas Integrativas e Complementares de Saúde no Cuidado. Rev. enferm. UFSM. [internet] 2016 Jan-Mar [acesso 2020 jun 08] 6(1). Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/index.php/reufsm/article/viewFile/21571/pdf

Cebulski MC. Introdução à História do Teatro no Ocidente: dos gregos aos nossos dias. Guarapuava: Editora Unicentro; 2013.

Fernandes J. Castro A. A influência da prática do teatro no desenvolvimento da espontaneidade: uma pesquisa com alunos de uma escola de teatro. Rev. bras. psicodrama. [internet] 2018 Jul-Dez [acesso 2020 jul 29] 26(2): 8-22. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-53932018000200002&lng=pt&nrm=iso

Campos F. Panuncio-Pinto MP. Saeki T. Teatro do Oprimido: um teatro das emergências sociais e do conhecimento coletivo. Psicol. soc. [internet] 2014 Set-Dez [acesso 2020 jun 13] 26(3): 552-561. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-71822014000300004&script=sci_arttext

Oliveira EC. Araujo M. Aproximações do Teatro do Oprimido com a psicologia e o psicodrama. Psicol. cienc. prof. [internet] 2012 [acesso 2020 abr 08] 32(2): 340-355. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932012000200006&lng=en&nrm=iso

Paro CA. Silva NEK. Teatro do Oprimido e Promoção de Saúde: tecendo diálogos. Trab. educ. saúde. [internet] 2018 Mai-Ago [acesso 2020 jun 17] 16(2):471-493. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462018000200471

Britto G. Teatro do Oprimido na Saúde Mental. IN: METAXIS: Teatro do Oprimido na Saúde Mental; 2006.

Santos E. Joca E. Souza AM. Teatro do Oprimido em saúde mental: participação social com arte. Interface (Botucatu) [internet] 2016 Jul-Set [acesso 2020 jun 13] 20(58):637-647. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832016000300637&lng=en

Altieri AL. Cultura de Augusto Boal: Processos Constitutivos de Teatro e Educação. Jundiaí: Paco Editorial; 2016.

Downloads

Publicado

2021-12-21

Edição

Seção

Artigos Originais