“Hiperbingão”: Uma Estratégia de Adesão ao Tratamento de Hipertensão Arterial Sistêmica na Atenção Primária à Saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2022v8n1p39-49

Palavras-chave:

Educação em saúde, Atenção primária, Hipertensão

Resumo

Objetivo: descrever a criação de um material educativo e sugestões de uso para melhoria da adesão ao tratamento e uso em grupos terapêuticos para manejo da Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) na Atenção Primária à Saúde. Métodos: o processo ocorreu em três etapas: escolha do público-alvo e modelo terapêutico, definição de atividade e elaboração. Destina-se a usuários da Atenção Primária à Saúde com diagnóstico de HAS. A escolha da atividade objetivou uma modalidade de fácil execução, baixo custo, com ênfase na motivação, assim, optando-se por uma versão modificada do modelo bingo, destinada a grupos terapêuticos. A produção ocorreu por meio de plataforma virtual de design, com uso de imagens de livre reprodução. Resultados: A criação final foi um jogo baseado no bingo. Na face frontal são apresentadas imagens de hábitos recomendados, marcando-se com a letra 'X' as atividades presentes no cotidiano. No verso, há um espaço reservado para registro de dúvidas e dificuldades e um espaço para controle da medicação, ingestão diária de água e curiosidades sobre hábitos de vida.Conclusões: O desenvolvimento da atividade proposta em serviços da atenção primária à saúde pode auxiliar os profissionais de saúde nas orientações de tratamento da HAS. Considerando as múltiplas estratégias de prevenção, acredita-se que a implementação do “Hiperbingão” pode ser uma maneira instigante de abordar o usuário sobre medidas de prevenção e torná-lo agente do próprio cuidado.

Biografia do Autor

Gabriely Westphal Ramos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Enfermeira graduada na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Paula Vitória Pena Machado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Acadêmica do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Daniela Dallegrave, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Docente do Departamento de Assistência e Orientação Profissional da Escola de Enfermagem da UFRGS.

Referências

Santiago ERC, Diniz AS, Oliveira JS, Leal VS, Andrade MIS, Lira PIC. Prevalência e Fatores Associados à Hipertensão Arterial Sistêmica em Adultos do Sertão de Pernambuco, Brasil. Arq. Bras. Cardiol. [Internet]. 2019 oct. [citado 2021 mai 08];113(4). Available from: https://www.scielo.br/j/abc/a/SQKrhFy8BzvMFN6vgVFCs9x/?lang=pt.

Sociedade Brasileira de Cardiologia. V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol 2006; Fev:1-48.

Goi CB, Salamoni H, Siqueira FD, Santos FB, Benetti SAW, Pettenon MK. Saúde escolar de adolescentes: incidência e prevalência de arterial sistêmica. Rev enferm UFPE online [Internet]. 2017 fev. [citado 2021 mai. 08];11(2):804-7. Available from: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/download/12003/14580.

Silva EC, Martins MSAS, Guimarães LV, Segri NJ, Lopes MAL, Espinosa MM. Prevalência de hipertensão arterial sistêmica e fatores associados em homens e mulheres residentes da Amazônia legal. Rev. bras. epidemiol. [Internet] 2016 Jan-Mar. [citado em 2021 mai. 08];19(01). Available from: https://www.scielosp.org/article/rbepid/2016.v19n1/38-51/pt/.

Malta DC, Gonçalves RPF, Machado IE, Freitas MIF, Azeredo C, Szwarcwald CL. Prevalência da hipertensão arterial segundo diferentes critérios diagnósticos, Pesquisa Nacional de Saúde. Rev Bras Epidemiol [Internet]. 2018; [citado 2020 dez 13];(suppl 1)21. Available from: https://www.scielo.br/pdf/rbepid/v21s1/1980-5497-rbepid-21-s1-e180021.pdf.

Departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia (DHA-SBC); Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH); Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN). Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial - 2020. Arq Bras Cardiol. 2021; 116(3):516-658.

Dantas RC, Roncalli AG. Protocolo para indivíduos hipertensos assistidos na Atenção Básica em Saúde. Ciênc. saúde colet. [Internet]. Jan 2019. [citado em 2021 mai. 08];24(1). Available from: https://www.scielo.br/j/csc/a/SPzQTQ6dJjYvgf8w7czq8MQ/?lang=pt.

Sociedade Brasileira de Cardiologia. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arq Bras Cardiol 2016;107(3 Supl 3):1-83.

Alvarez EA. HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA: Resistência De Usuários Da Atenção Primária À Saúde Ao Tratamento Adequado. [Tese] Minas Gerais: Universidade Federal de Minas Gerais, 2015.

Maron LC, Guzzo PC, Grando T. Grupos De Saúde Na Atenção Básica: Experiências de Enfermeiras Residentes. Revista Contexto & Saúde Ijuí, v. 14, n. 27 JUL./DEZ. 2014 p. 81-86.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica. Cadernos de Atenção Básica nº 37. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2014.

Maffacciolli R, Lopes MJM. Os grupos na atenção básica de saúde de Porto Alegre: usos e modos de intervenção terapêutica. Ciência & Saúde Coletiva [Internet]. 16(Supl.1):973-982, 2011 [citado 2021 jan 14]. Available from: https://scielosp.org/pdf/csc/2011.v16suppl1/973-982/pt.

Ramos GW, Machado PVP, Dallegrave D. Hiperbingão. LUME UFRGS Repositório Digital [Internet]. 2020. [citado em 2021 mai. 05]. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/218571.

Dalmolin A, Girardon-Perlini NMO, Coppetti LC, Rossato GC, Gomes JS, Silva MEN. Vídeo educativo como recurso para educação em saúde a pessoas com colostomia e familiares. Rev. Gaúcha Enferm. [Internet]. 2016. [citado 2021 jun 15];37 (spe). Available from: https://www.scielo.br/j/rgenf/a/gCB5xxTX4wcSrGKfDBnDngQ/?lang=pt&format=htm.

Menezes KKP, Avelino PR. Grupos operativos na Atenção Primária à Saúde como prática de discussão e educação: uma revisão. Cad. Saúde Colet. [Internet]. 2016 [citado 2021 jan. 15], Rio de Janeiro, 24(1):124-130. Available from: https://www.scielo.br/pdf/cadsc/v24n1/1414-462X-cadsc-24-1-124.pdf.

Vieira MNCM, Panúncio-Pinto MP. A Metodologia da Problematização (MP) como estratégia de integração ensino-serviço em cursos de graduação na área da saúde. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 8 de junho de 2015 [citado 2021 jan 15];48(3):241-8. Available from: http://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/104310.

Bezerra HMC, Gomes MF, Oliveira SRA, Cesse EAP. Processo educativo do núcleo ampliado de saúde da família na atenção à hipertensão e diabetes. Trab. educ. saúde [Internet]. Rio de Janeiro, 2020 [citado 2021 jan 15] Vol.18 no.3. Available from: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462020000300508&lang=pt.

Lemos RA. Jogo Da Aps: Tecnologia Educativa Como Estratégia De Ensino-aprendizagem Da Política Nacional De Atenção Básica. Cadernos de educação, saúde e fisioterapia [Internet], 2016; [citado 2021 jan 15] v. 3, n. 6. Available from: http://revista.redeunida.org.br/ojs/index.php/cadernos-educacao-saude-fisioter/article/view/1235.

Alves L, Bianchin MA. O jogo como recurso de aprendizagem. Rev. psicopedag. [Internet]. São Paulo 2010 [citado 2021 jan 15] Vol.27 no.83. Available from: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.phpscript=sci_arttext&pid=S0103-84862010000200013

Veiga MAB, Sousa MC, Pereira RS. Enfermagem e o Brinquedo Terapêutico: Vantagens Do Uso e Dificuldades. Rev. Eletrôn. Atualiza Saúde. [Internet] Salvador, jan./jun. 2016 [citado 2021 jun 15] v. 3, n. 3, p. 60-66. Available from: http://www.atualizarevista.com.br/wpcontent/uploads/2016/01/Enfermagem-e-o-brinquedo-terap%C3%AAutico-vantagens-do-uso-e-dificuldades-v-3-n-3.pdf.

Lopes MTSR, Labegalini CMG, Baldissera VDA. Educar para humanizar: o papel transformador da educação permanente na humanização da atenção básica. Rev enferm UERJ [Internet]. Rio de Janeiro, 2017; [citado 2021 jan 15];25:e26278. Available from: https://www.epublicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/26278/24241.

Mesquita LM, Valente GSC, Soeiro RL, Cortez EA, Lobo BMIS, Xavier SCM. Estratégias de Educação Permanente na Avaliação das Equipes de Saúde da Família: uma Revisão Sistemática. Rev. bras. educ. med. [Internet]. Brasília, Feb 27, 2020; [citado 2021 jan 15] Vol.44 no.1. Available from: https://www.scielo.br/scielo.phpscript=sci_arttext&pid=S0100-55022020000100301&lang=pt.

Downloads

Publicado

2021-11-04

Edição

Seção

Artigos Originais