INSPIRAÇÕES FREIREANAS NAS CONTRIBUIÇÕES DO CONTROLE SOCIAL À FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM SAÚDE: SAÚDE E EDUCAÇÃO COMO DIREITOS PARA UMA VIDA DIGNA A TODAS AS PESSOAS

Autores

  • Mirian Benites Falkenberg Conselho Nacional de Saúde / Comissão Intersetorial de Recursos Humanos e Relações de Trabalho (CNS/CIRHRT), Brasília, Brasil.
  • Mário Uriarte Neto Conselho Nacional de Saúde / Comissão Intersetorial de Recursos Humanos e Relações de Trabalho (CNS/CIRHRT). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil. CNS/CIRHRT. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-9130-301X https://orcid.org/0000-0002-9130-301X
  • Francisca Valda da Silva Conselho Nacional de Saúde / Comissão Intersetorial de Recursos Humanos e Relações de Trabalho (CNS/CIRHRT). ORCID: http://orcid.org/0000-0002-6364-2241 http://orcid.org/0000-0002-6364-2241
  • Sônia Maria Lemos Conselho Nacional de Saúde / Comissão Intersetorial de Recursos Humanos e Relações de Trabalho (CNS/CIRHRT). Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Manaus, Amazonas, Brasil. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-5047-2466 https://orcid.org/0000-0002-5047-2466
  • Alcindo Antônio Ferla Conselho Nacional de Saúde / Comissão Intersetorial de Recursos Humanos e Relações de Trabalho (CNS/CIRHRT). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-9408-1504

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2021v7n3p441-458

Palavras-chave:

Capacitação de Recursos Humanos em Saúde, Capacitação de Recursos Humanos Especializados, Formação Profissional em Saúde

Resumo

O presente estudo teve por objetivo analisar os doze princípios da Resolução nº 569, de 8 de dezembro de 2017, do Conselho Nacional de Saúde, à luz da pedagogia de Paulo Freire. A Resolução embasa o trabalho da Comissão Intersetorial de Recursos Humanos e Relações de Trabalho (CIRHRT) na análise da relevância social e sanitária dos cursos de medicina, enfermagem, psicologia e odontologia vinculados ao sistema federal de ensino, nas etapas de abertura, credenciamento e renovação do credenciamento. Utilizou-se como método a Análise de Conteúdo proposta por Laurence Bardin e obteve-se como resultado evidências de que os princípios analisados estão em consonância com os alguns dos principais pressupostos da pedagogia freireana, tais como: a educação é uma forma de intervenção no mundo; a educação consiste num processo de mudança social; ensinar exige aceitação do novo, rejeição a qualquer forma de discriminação, respeito aos saberes dos educandos, reflexão crítica sobre a prática, disponibilidade para o diálogo, bom senso, pesquisa e apreensão da realidade, entre outros, o que demonstra uma importante contribuição do controle social à formação profissional em saúde no Brasil.

Referências

Brasil. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 20 de setembro de 1990.

Brasil. Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde - SUS e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 31 de dezembro de 1990.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 017, de 28 de novembro de 1991. Brasília, DF.

CECCIM, RB; FERLA, AA. Relevância social da formação e do trabalho na saúde: participação histórica da sociedade nos processos regulatórios. Brasília: CNS, 2021 (No prelo).

Conselho Nacional de Saúde. Resolução 630, de 11 de outubro de 2019. Aprova a recomposição da CIRHRT para o exercício do mandato de 2019 a 2022, com a composição de 19 (dezenove) membros titulares e 17 (dezessete) membros suplentes.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução 038, de 4 de fevereiro de 1993. Inclui os cursos de Biologia, Medicina Veterinária e Serviço Social entre os cursos relacionados na Resolução CNS nº 017, de 28 de novembro de 1991. [A Resolução 038/1993 foi ratificada pela Resolução 095, de 2 de dezembro de 1993].

Conselho Nacional de Saúde Resolução 095, de 2 de dezembro de 1993. Brasília, DF. Ratifica a Resoluçãp 038, de 4 de fevereiro de 1993.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução 131, de 04 de agosto de 1994. Propõe que o conteúdo de Medicina Preventiva e Social faça parte de todos as disciplinas do ciclo clínico, que compõem o currículo de curso de medicina, sem prejuízo da disciplina específica de Medicina Preventiva e Social. Propõe a introdução do módulo de Medicina Preventiva e Social no internato do curso de graduação em medicina. Propõe à Comissão de Ensino Médico do MEC a criação de grupo de trabalho para no prazo de 60 (sessenta) dias, prorrogáveis por igual período, prepare sugestões de conteúdo e metodologia.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução 203, de 07 de novembro de 1996. Determina que o processo de solicitação de criação de novos cursos, da área de saúde, a ser protocolado, inclua o parecer do Conselho Estadual de Saúde respectivo.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução 204, de 07 de novembro de 1996. Constitui Comissão para analisar e emitir parecer, a ser apreciado no CNS, sobre a necessidade social de abertura dos 596 processos de autorização de novos cursos de graduação de profissionais de saúde citados; Estabelece que a Comissão referida no artigo anterior será integrada pelos membros a seguir especificados e coordenada pelo primeiro.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução 350, de 09 de junho de 2005. Brasília, DF. Aprova critérios de regulação para a autorização e reconhecimento de cursos de graduação da área da saúde.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução 515, de 7 de outubro de 2016. Brasília, DF. Posiciona-se contrário à autorização de todo e qualquer curso de graduação da área da saúde ministrado na modalidade Educação a Distância (EaD); recomenda que as DCN dos cursos da área de saúde sejam objeto de discussão e deliberação do CNS de forma sistematizada, dentro de um espaço de tempo adequado, com a participação das organizações de todas as profissões regulamentadas e das entidades e movimentos sociais que atuam no controle social.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução 569, de 08 de dezembro de 2017. Brasília, DF. Reafirma a prerrogativa constitucional do SUS em ordenar a formação dos (as) trabalhadores (as) da área da saúde; Aprova o Parecer Técnico nº 300/2017, que apresenta princípios gerais a serem incorporados nas DCN de todos os cursos de graduação da área da saúde, como elementos norteadores para o desenvolvimento dos currículos e das atividades didático-pedagógicas, e que deverão compor o perfil dos egressos desses cursos; Aprova os pressupostos, princípios e diretrizes comuns para a graduação na área da saúde, construídos na perspectiva do controle/participação social em saúde.

FURLANETTO. D. L. C.; BASTOS. M. M.; SILVA JÚNIOR. J. W.; PINHO, D. L. M. Reflexões sobre as bases conceituais das Diretrizes Curriculares Nacionais em cursos de graduação em saúde. Com. Ciências Saúde. 2014; 25(2): 193-202. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/periodicos/Reflexoes_sobre_as_bases.pdf . Acesso em: 26 jun 2021.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

MIRANDA. K. C. L.; BARROSO. M. G. T. A contribuição de Paulo Freire à prática e educação crítica em enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2004; 12( 4 ): 631-35. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rlae/a/SHXzNcpH8nxwKZ8GjQ5cc6c/?lang=pt Acesso em: 27 jun 2021.

CHIARELLA. T.; LIMA, D. B.; MOURA. J. C.; MARQUES. M. C. C.; MARSIGLIA, R. M. G. A Pedagogia de Paulo Freire e o Processo Ensino-Aprendizagem na Educação Médica. Rev. bras. educ. med. 39 (3). Set 20. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbem/a/jg9jPgnZRrqBy7WTDdrpFcn/abstract/?lang=pt . Acesso em: 20 jun. 2021.

ABENSUR, P. L. D.; SAUL, A. M. Princípios da Didática Freireana: subsídios para uma prática didático-pedagógica na educação superior. Educação (UFSM), Educação, v. 46, 2021 – Jan./Dez. – Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/40439/html Acesso em: 24 jun 2021.

CAMARGO. J. B.; TEIXEIRA, A. B.; SELEGHIM. R.; CASTANHO. C.; MARTINS. M.; BUENO, M. V. Reflexões sobre as contribuições de Paulo Freire para a área da saúde e enfermagem. Revista Saúde Multidisciplinar [S. l.], v. 2, n. 1, 2020. Disponível em: http://revistas.famp.edu.br/revistasaudemultidisciplinar/article/view/22. Acesso em: 26 jun. 2021.

FERNANDES. M. C. P.; BACKES. V. M. S. Educação em saúde: perspectivas de uma equipe da Estratégia Saúde da Família sob a óptica de Paulo Freire. Rev. Bras. Enferm. 63 (4) . Ago 2010 . Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/Dvst3rZNMgTSMYMNwBghHLG/abstract/?lang=pt . Acesso em: 19/jun 2021.

FREIRE. P. Educação e Mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

FREIRE. P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE. P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

Downloads

Publicado

2021-12-21

Edição

Seção

Artigos Especiais