AVALIAÇÃO DE UM PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL COMO TECNOLOGIA EDUCATIVA PARA CONSOLIDAÇÃO DO QUADRILÁTERO DA FORMAÇÃO EM SAÚDE

Autores

  • Janini Cristina Paiz Grupo Hospitalar Conceição
  • Daniela Dallegrave Grupo Hospitalar Conceição

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2017v3n1p18-26

Palavras-chave:

Educação Profissional em Saúde Pública, Atenção Primária à Saúde, Residência em Saúde

Resumo

Objetivo: Discutir a formação em residências multiprofissionais como tecnologia educativa que se orienta pelo quadrilátero da formação em saúde. Métodos: Foram analisados questionários de avaliação da ênfase Saúde da Família e Comunidade. As informações foram categorizadas pela análise de conteúdo. Resultados: A análise das avaliações permitiu a identificação de: elevada heterogeneidade entre os campos de formação; enfraquecimento dos espaços de controle social; pouca adesão da equipe na realização de atividades de educação em saúde; crítica acerca da “clínica tradicional”, centrada na doença e necessidade de reorganização da atenção por micro-áreas para proporcionar aos residentes o exercício da vigilância do território. Conclusões: A atenção à saúde constitui-se no elemento com maior organização e qualidade. O controle social mostra-se como elemento bastante fragilizado, espaço em que os residentes e preceptores têm empreendido energia para qualifica-lo. A educação em saúde é espaço de intensa participação da residência, mas fragilizado devido a pouca adesão da equipe. A gestão em saúde não foi estudada com profundidade devido à inexistência de um eixo de avaliação específico. 

Biografia do Autor

Janini Cristina Paiz, Grupo Hospitalar Conceição

Enfermeira (Universidade de Caxias do Sul), residente na ênfase Saúde da Família e Comunidade no Grupo Hospitalar Conceição (GHC).

Daniela Dallegrave, Grupo Hospitalar Conceição

Doutora em Educação – UFRGS. Docente na Escola do Grupo Hospitalar Conceição (GHC).

Referências

Ceccim RB, Feuerwerker LCM. O quadrilátero da formação para a área da saúde: ensino, gestão, atenção e controle social. Physis Rev Saúde Coletiva. 2004;14(1):41–65.

Brasil. Residência Multiprofissional em Saúde: experiências , avanços e desafios. 1a ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2006. 415 p.

Fajardo AP, Rocha CMF, Pasini VL. Residências em Saúde fazeres e saberes na formação em saúde. 1a ed. Porto Alegre/ RS: Hospital Nossa Senhora da Conceição; 2010. 260 p.

Demarco EA. Formação multiprofissional como tecnologia para qualificar a Atenção Primária à Saúde no SUS: avaliação de um programa de residência [Dissertação]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grando do Sul(UFRS); 2011.

Melo MC de, Queluci GDC, Gouvêa MV. Problematizing the multidisciplinary residency in oncology: a practical teaching protocol from the perspective of nurse residents. Rev da Esc Enferm da USP. 2014; 48(4):706–14.

Carvalho SBDO, Duarte LR, Guerrero JMA. Parceria ensino e serviço em Unidade Básica de Saúde como cenário de ensino-aprendizagem. Trab Educ e Saúde. 2015;13(1):123–44.

Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família [Internet]. Brasília, DF: Organização Pan-Americana da Saúde; 2012 [cited 2017 jan]. Available from: http://apsredes.org/site2012/wp-content/uploads/downloa

ds/2012/04/RedesdeAtencaocondicoescronicas.pdf

Massote AW, Belisário SA, Gontijo ED. Atenção primária como cenário de prática na percepção de estudantes de medicina. Rev Bras Educ Med. 2011;35(4):445–53.

Bardin L. Análise de Conteúdo. 70th ed. Lisboa: LDA; 2009.

Brasil.Resolução no 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasil; 2012 p. 17.

Roecker S, Budó MLD, Marcon SS. O trabalho educativo do enfermeiro na Estratégia Saúde da Família. Texto Context Enferm. 2013;22(1):157–65.

Coutinho LRP, Barbieri AR, Santos ML de M. Acolhimento na Atenção Primária à Saúde: revisão integrativa. Saúde em Debate. 2014;38(105):514–24.

Brasil. Caderno de Atenção Domiciliar: melhor em casa [Internet]. 1a ed. Ministério da Saúde. Vol. 2. Brasília - DF: Secretaria de Atenção à Saúde - Departamento de Atenção Básica; 2012 [cited 2017 jan 20]. Available from: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/cad_vol1.pdf

Silveira LR, Vargas TM de. O Controle Social como Experiência de Ensino-Aprendizagem na Residência Multiprofissional em Saúde. In: Fajardo AP, Dallegrave D, editors. RIS/GHC: 10 anos fazendo e pensando em atenção integral à saúde [Internet]. Porto Alegre(RS): Hospital Nossa Senhora da Conceição; 2014 [cited 2017 jan 20]. Available from: http://escola.ghc.com.br/images /Publicacao/residncias em sade 2014.pdf

Brasil. Política Nacional de Atenção Básica [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2012 [cited 2017 jan 20]. Available from: http://189.28. 128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf

Campos CEA. O desafio da integralidade segundo as perspectivas da vigilância da saúde e da saúde da família. Cien Saude Colet. 2003;8(2):569–84.

Hennington ÉA. Gestão dos processos de trabalho e humanização em saúde : reflexões a partir da ergologia. Rev Saude Publica. 2008;42(3):555–61.

Dallegrave D. Encontros de Aprendizagem e Governamentalidade no Trabalho em Saúde: as Residências no País das Maravilhas [tese]. Porto Alegre Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS); 2013.

Downloads

Publicado

2017-08-21

Edição

Seção

Artigos Originais