VIVÊNCIAS NA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM: CONHECENDO OS ATRIBUTOS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

Erilandy de Sousa Ávila, Francisca Drenalina Sousa Araújo, Lívia Maria Albano Camelo, Debora Maria Bezerra Martins, José Jeová Mourão Netto, Natália Frota Goyanna

Resumo


Objetivo: identificar a relação entre as práticas na Estratégia Saúde da Família e os atributos da Atenção Primária à Saúde. Métodos: trata-se de um relato de experiência, realizado por acadêmicos do Curso de Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú, ocorrido em fevereiro e março de 2015. As informações foram coletadas por meio de observação participante, análise documental e aplicação de um instrumento. Resultados: as atividades realizadas nessa prática propunham ao aluno observar e verificar quais atributos da Atenção Primária eram contemplados pela unidade. Do instrumento de avaliação, composto por cinquenta itens, dez foram assinalados “não”, na seguinte proporção: um em primeiro contato, quatro em longitudinalidade, dois em integralidade e três em coordenação. Conclusão: pode-se constatar e conhecer os atributos que estão presentes na unidade, sendo os mais qualificados a acessibilidade e a longitudinalidade. Porém, integralidade do cuidado e orientação comunitária obtiveram os menores níveis de qualificação.  


Palavras-chave


Atenção Primária à Saúde; Estratégia Saúde da Família; Enfermagem

Texto completo:

PDF

Referências


Escorel S, Giovanella L, Mendonça M, Senna MCM. The Family Health Program and the construction of a new model for primary care in Brazil. Pan Am. J Public Health [Internet]. 2007 [cited 2015 Sep 21]; 21(2):164-76. Available from: http://www.scielosp.org/pdf/rpsp/v21n2-3/11.pdf

Oliveira MAC, Pereira IC. Primary Health Care essential attributes and the Family Health Strategy. Rev Bras Enferm [Internet]. 2013 [cited 2015 Sep 21]; 66(esp); 158-64. Available from: http://www.scielo.br/pdf/reben/v66nspe/v66nspea20.pdf

Martins SJ, Garcia FJ, Passos BB. A Estratégia de Saúde da Família: População participativa, saúde ativa. Revista Enfermagem Integrada [Internet]. 2008 nov./dez. [cited 2015 Sep 22]; 1(1): 1-9. Disponível em: http://www.unilestemg.br/enfermagemintegrada/artigo/v1/julieta_martins_junior_garcia_e_ana_passos.pdf

Starfield, B. Atenção Primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: Ministério da Saúde/UNESCO, 2002.

Aguiar ASW, Martins P. Atributos essenciais e qualificadores da atenção primária a saúde. Rev Bras Promoç Saúde [Internet]. 2012 abr./jun. [cited 2015 Sep 22]; 25 (supl2): 1-2. Disponível em: http://ojs.unifor.br/index.php/RBPS/article/view/2237/2462

Silva CSO, Fonseca ADG, Souza LPS, Siqueira LG, Belasco AGS, Barbosa DA. The comprehensive nature of primary health care: evaluation from the user standpoint. Ciênc. saúde coletiva [Internet]. 2014 Nov. [cited 2016 June 15]; 19(11): 4407-15. Available from: http://www.scielosp.org/pdf/csc/v19n11/1413-8123-csc-19-11-4407.pdf

Mattioni FC, Budó MLD, Schimith MD. Exercising integrality in a Family Health Strategy team: knowledge and practices. Texto Contex Enferm [Internet] 2011 abr./jun. [cited 2016 June 15]; 20(2):263-71. Available from: http://www.scielo.br/pdf/tce/v20n2/a07v20n2.pdf

Kemper MLC, Martins JPA, Monteiro SFS, Pinto TS, Walter FR. Integralidade e redes de cuidado: uma experiência do PET-Saúde/Rede de Atenção Psicossocial. Interface (Botucatu). [Internet] 2015 [citado em 15 jun. 2016]; 19(supl1): 995-1003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v19s1/1807-5762-icse-19-s1-0995.pdf

Mendes EV. As Redes de Atenção à Saúde. 2ª ed. Brasília (DF): Organização Pan-Americana da Saúde; 2011.

Siveira RP, Stelet BP, Pinheiro R. Crise na educação médica? Um ensaio sobre o referencial arendtiano. Interface (Botucatu) [Internet]. 2014 [acesso em 10 jun. 2016]; 18(48):115-26. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v18n48/1807-5762-icse-18-48-0115.pdf

Silva NC, Giovanella L, Mainbourg EMT. The family in the practices of Family Health teams. Rev Bras Enferm [Internet]. 2014 Mar./Apr [cited 2016 June 15]; 67(2): 274-81. Available from: http://www.scielo.br/pdf/reben/v67n2/0034-7167-reben-67-02-0274.pdf




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2017v3n2p183-188

DOI (PDF): https://doi.org/10.18310/2446-48132017v3n2.787g153

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. Novidade 2019: a Saúde em Redes foi aprovada para indexação na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorimDOAJ; COLECIONASUS