A EDUCAÇÃO PERMANENTE COMO FERRAMENTA DE TRANSFORMAÇÃO NA ASSISTÊNCIA EM SAÚDE MENTAL DE UM CENTRO DE SAÚDE DA FAMÍLIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Chedy Ben Belaid, Emanoel Avelar Muniz, Ana Karina de Sousa Gadelha, Patrícia Aragão Alves

Resumo


Objetivo: Desenvolver uma atividade de Educação Permanente (EP) em um Centro de Saúde da Família (CSF) em Sobral (CE) visando uma melhoria na assistência aos usuários em sofrimento psíquico. Métodos: Trata-se de um projeto de intervenção realizado através de uma atividade de EP com os profissionais de um CSF de Sobral (CE) acerca da assistência aos usuários em sofrimento psíquico do território. A EP foi realizada nos momentos das Rodas de equipe e utilizou o Arco de Maguerez, que trabalha com a aprendizagem a partir da problematização sob diversos ângulos. Resultados e discussão: A EP foi realizada em três encontros em fevereiro de 2017, com todos os profissionais componentes das equipes mínimas do CSF, com exceção da categoria médica. Foram realizadas diversas atividades relacionadas com a temática de Saúde Mental e grupos de estudo, possibilitando a construção do Arco de Maguerez de forma plena. Considerações finais: A partir das discussões e estudos os profissionais foram construindo o Arco e ressignificando a sua prática a partir das reflexões trazidas pela problematização. O método do Arco se mostrou como um importante instrumento para operacionalização da EP, pois conseguiu gerar reflexões nos profissionais acerca do seu processo de trabalho.

Palavras-chave: Educação Continuada; Estratégia Saúde da Família; Saúde Mental.


Texto completo:

PDF

Referências


Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção à Saúde. Coordenação Geral de Saúde Mental. Reforma psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil. Documento apresentado à Conferência Regional de Reforma dos Serviços de Saúde Mental: 15 anos depois de Caracas. OPAS: Brasília; 2005.

Correia VR, Barros S, Colvero L de A. Saúde mental na atenção básica: prática da equipe de saúde da família. Rev. esc. enferm. USP [Internet]. Dez 2011 [citado em 31 Ago 2017]; 45(6): 1501-1506. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S00806234201100060003&lng=en.

Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Clínica ampliada, equipe de referência e projeto terapêutico singular. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2007.

Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação em Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.

Ceccim RB. Educação Permanente em Saúde: desafio ambicioso e necessário. Interface (Botucatu) [Internet]. Fev 2005 [citado em 31 ago 2017]; 9(16): 161-168. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141432832005000100013&lng=en.

Gil AC. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas; 2014.

Bordenave JD, Perreira AM. Estratégias de ensino-aprendizagem. 28 ed. Petrópolis: Vozes; 2007.

Barth PO, Massaroli A, Callegaro GD, Ramos FRS, Martini JG. Relato de Experiência: o uso do arco de maguerez como metodologia na construção de um processo educativo crítico reflexivo e criativo. In: Anais da II Jornada Internacional de Enfermagem UNIFRA; 29 a 31 mai2012; Santa Maria (RS), Brasil. Santa Maria: Centro Universitário Franciscano; 2012.

Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. Departamento Nacional de Auditoria do SUS. Coordenação de Sistemas de Informação. Portaria n. 189, de 19 de novembro de 1991. Diário Oficial da União 240 11 dez 1991; Seção 1.

Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção à Saúde. Cadernos de Atenção Básica. Núcleo de Apoio à Saúde da Família - Volume I: Ferramentas para a Gestão e para o Trabalho Cotidiano. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Rasera EF, Rocha RMG. Sentidos sobre a prática grupal no contexto de saúde pública. Psicol. estud. [online]. 2010 [citado em 04 set 2017]; 15 (1): 35-44. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S141373722010000100005&script=sci_abstract&tlng=pt

Rossetto M, Silva LAA. Ações de educação permanente desenvolvidas para os agentes comunitários de saúde. Cogitare Enferm. 2010; 15(4): 723-9.




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2017v3n3p284-292

DOI (PDF): https://doi.org/10.18310/2446-48132017v3n3.874g168

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. Novidade 2019: a Saúde em Redes foi aprovada para indexação na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorimDOAJ; COLECIONASUS