Representações de gênero pelos gestores locais de saúde

Autores

  • Gláucia de Fátima Batista Secretaria Municipal de Saúde BH
  • Eliane de Freitas Drumond Médica Secretaria Municipal de Saúde BH
  • Maria do Carmo Fonseca professora UFMG
  • Celina Maria Modena Professora CPqRR

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2018v4n2p51-58

Palavras-chave:

Gênero e Saúde, Gestão em Saúde, Desigualdades em Saúde, Direitos Humanos, Saúde da Mulher.

Resumo

Objetivou-se nesse estudo identificar as representações de gênero pelos gestores locais de saúde. Trata-se de estudo exploratório-descritivo com abordagem qualitativa na perspectiva de gênero e noções da teoria de representações sociais através de entrevistas semiestruturadas com 10 gerentes locais de saúde. Observou-se que para a maioria há equivalência entre gênero e sexo embora tenham demonstrado interesse em discuti-lo de forma ampliada incluindo os efeitos de assimetria de poder na Saúde. Para avançar nessa abordagem gestores sugeriram sua inclusão de gênero, aprendizado teórico e capacitação. Tal abertura e vitalidade do serviço são fundamentais para a melhoria da assistência e redução de desigualdades em saúde. Conclui-se que prestar assistência integral sem preconceitos e estereótipos de gênero é um grande desafio para gestores de saúde. 

Biografia do Autor

Gláucia de Fátima Batista, Secretaria Municipal de Saúde BH

Assistente Social SMSA-BH, Especialização em Gestão de Saúde, Mestre em Ciências da Saúde

Eliane de Freitas Drumond, Médica Secretaria Municipal de Saúde BH

Médica, Doutora em Epidemiologia

Maria do Carmo Fonseca, professora UFMG

Socióloga, Profª aposentada UFMG, doutora em Demografia Social

Celina Maria Modena, Professora CPqRR

Psicóloga, Pós-doutora em Saúde Coletiva Fiocruz-MG

Referências

Araújo MF; Schraiber LB; Cohen, DD. Penetração da perspectiva de gênero e análise crítica do desenvolvimento do conceito na produção científica da Saúde Coletiva. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 15, n. 38, p. 805-818, Set 2011. Disponível: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141432832011000300015&lng=en&nrm=iso>.Epubhttp://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832011005000039. Acesso em 12 jan 2014

Barata, RB. Como e por que as desigualdades sociais fazem mal à Saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2012.

Schraiber LB. Necessidades de saúde, políticas públicas e gênero: uma perspectiva das práticas profissionais. Cien Saude Colet [Internet]. 2012 Out [acesso 2014 jan 20]; 17(10): 2635-44. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v17n10/13.pdf http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012001000013

Minayo MCS, Cavalcante FG. Estudo compreensivo sobre suicídio de mulheres idosas de sete cidades brasileiras. Cad. Saúde Pública [Internet]. 2013 Dez [citado 2017 Out 20] ; 29( 12 ): 2405-2415. Disponível: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2013001200006&lng=pt. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00048013.

Scott-Samuel Alex. Patriarchy, masculinities and health inequalities. Gac Sanit [Internet]. 2009 Abr [citado 2017 Out 20] ; 23( 2 ): 159-160. Disponível: http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0213-91112009000200016&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S021391112009000200016.

Lagro JT. Sex, gender and health: developments in research. European Journal of Women’s Studies. 2007; 14(1):9-20.

Organização Pan-Americana da Saúde. A atenção à saúde coordenada pela APS: construindo as redes de atenção no SUS: contribuições para o debate./ OrganizaçãoPan-Americana da Saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2011.

Backes DS, Backes MTS, Erdmann AL, Büscher A, Marchiori MT, Koerich MS. Significado da atuação da equipe da Estratégia de Saúde da Família em uma comunidade socialmente vulnerável.Ciênc. saúde coletiva [Internet].2012 Mai [citado 2017 Out 11] ; 17( 5 ): 1151-7. Disponível:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232012000500009&lng=en.http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000500009

Jodelet D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: Jodelet D. (Org.). As representações sociais. Tradução de Lilian Ulup. Rio de Janeiro: Ed. UERJ; 2001. p.17-44.

Moscovici S. La psychanalyse, son image et son public. Paris: PUF; 1961.

Blanchet A, Gotman A. L’enquete et ses méthodes: L’entretien. Paris: Nathan Université; 1992.

Downloads

Publicado

2018-12-20

Edição

Seção

Artigos Originais