INTRODUZINDO A PESQUISA: uma trajetória de encontros

Alzira de Oliveira Jorge, Emerson Elias Merhy, Monica Garcia Pontes

Resumo


Este artigo pretende apresentar o contexto em que surgiu a pesquisa sobre as Mães Órfãs em Belo Horizonte e apontar os caminhos metodológicos que estão sendo utilizados para desenvolver a investigação. Pesquisadores da UFMG, unidos a um coletivo de movimentos sociais, propõem-se investigar as normatizações do Ministério Público e Portaria do Judiciário que institui o abrigamento compulsório para mulheres em situação de vulnerabilidade, a partir de ferramentas qualitativas e quantitativas, a genealogia, os efeitos das normas sobre os atores envolvidos, assim como elucidar os seus efeitos na produção do cuidado e indicadores. Neste caminho, apresenta-se como resultados iniciais da pesquisa, duas narrativas de usuárias que tiveram seus filhos abrigados e adotados por outras famílias e uma narrativa de trabalhadoras de saúde. Estas usuárias não se conformam com esta situação e se insurgem contra as autoridades que as forçaram a ficar sem seus filhos. Pela análise das narrativas observa-se uma atuação de cunho discriminatório onde as mulheres não foram consideradas e o seu direito de defesa foi cerceado por processos e decisões muito rápidas. Observa-se a urgência de movimentos que possam tecer uma rede de apoio para se manter mãe e filho juntos. Para isso foi criado na cidade um movimento de resistência que atuou no sentido de suspender a vigência da portaria. Entretanto, a portaria continua sendo aplicada mesmo sem a sua obrigatoriedade, mostrando que está entranhada no imaginário coletivo, apontando para uma disputa de projetos sobre qual lugar mulheres em situação de vulnerabilização social tem na sociedade contemporânea.

Palavras-chave


Avaliação em saúde; Políticas Públicas; Vulnerabilidade Social; Judicialização da saúde.

Texto completo:

PORTUGUÊS

Referências


- Minas Gerais. Recomendação nº 5/PJIJCBH/MPMG, de 16 de Junho de 2014.

Recomendação aos médicos, profissionais de saúde, diretores, gerentes e responsáveis por maternidades e estabelecimentos de saúde. Belo Horizonte: Ministério Público do Estado de Minas Gerais; 2014.

- Minas Gerais. Recomendação nº 6/ PJIJCBH/MPMG, de 06 de Agosto de 2014.

Recomendação aos médicos, profissionais de saúde, Agentes Comunitários de Saúde, gerentes e responsáveis por Unidades Básicas de Saúde. Belo Horizonte: Ministério Público do Estado de Minas Gerais; 2014.

- Minas Gerais. Portaria nº 3/VCIJBH, de 22 de Julho de 2016. Dispõe sobre o procedimento

para encaminhamento de crianças recém-nascidas e dos genitores ao Juízo da Infância e da Juventude, assim como, oitiva destes, nos casos de graves suspeitas de situação de risco, e sobre o procedimento para aplicação de medidas de proteção. Diário do Judiciário Eletrônico TJMG. 25 jul. 2016: 29-33. [Portaria online]. 2016 [acesso em 04 mai 2017]. Disponível em: http://ftp.tjmg.jus.br/juridico/diario/index.jsp?dia=2207&completa=2inst%7Cadm.

- Silva KL, Magalhães RV, Ferreira VL, Capistrano D. Sofia e Tantas Outras Mulheres Usuárias

de Crack e Seus Filhos: quando a (in)capacidade de gerir sua própria vida afeta a produção do cuidado. In: Feuerwerker LCM, Bertussi DC, Merhy, EE (Organizadores). Avaliação Compartilhada do Cuidado em Saúde: surpreendendo o instituído nas Redes. Rio de Janeiro: Hexis; 2016 (2), p. 292-307. (Políticas e cuidados em saúde; 2).

- Maciel H. Tive que entregar meu filho para uma desconhecida. Agência de Reportagem e

Jornalismo Investigativo Pública. [publicação on line]; 20 jul 2017 [acesso em 02 nov 2017]. Disponível em: https://apublica.org/2017/07/tive-que-entregar-meu-filho-para-uma-desconhecida/

- Caldeira JP. Em BH, mães com histórico de uso de drogas têm seus bebês retirados na

maternidade. O Jornal de Todos os Brasis. [publicação on line]; 20 jul 2017 [acesso em 02 nov 2017]. Disponível em: https://jornalggn.com.br/noticia/em-bh-maes-com-historico-de-uso-de-drogas-tem-seus-bebes-retirados-na-maternidade

- Brasil. Lei Nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente. Diário

Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 1990.[Publicação Online]; [Acesso em: 21 ago 2017]. Disponível em: https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwiggN-My nVAhXDgpAKHR6bA3QQFggnMAA&url=http%3A%2F%2Fportal.mec.gov.br%2Fseesp%2Farquivos%2Fpdf%2Flei8069_02.pdf&usg=AFQjCNFdrZNV7eQvRb-Xq5bjH4uTs48CEw.

- Conselho Nacional de Justiça. Cadastro Nacional de Crianças Acolhidas. [publicação on

line]; 2017. [acesso em 02 nov 2017]. Disponível em: http://www.cnj.jus.br/cnca/publico/

- 23ª Vara Cível da Infância e da Juventude de Belo Horizonte. Seção de Orientação e

Fiscalização das Entidades Sociais. Belo Horizonte: Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais; 2013-2016.

- Merhy EE. Criação de Observatório Microvetorial de Políticas Públicas em Saúde e

Educação em Saúde. (Projeto de Pesquisa). Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro; 2013.

- Comissão Organizadora do 1º Encontro. Texto Norteador e Disparador. In: 1oEncontro

Nacional da Rede de Observatórios Microvetorial de Políticas Públicas de Saúde e Educaçao em Saúde; 18-20 out 2017; Campo Grande (MS): Universidade Federal do Mato Grosso do Sul; 2017

- Lima F. As “Leis” enquanto dispositivos – para pensar as normas, suas fissuras e efeitos.

In: 1º Seminário sobre a Pesquisa Criação de Observatório Microvetorial de Políticas Públicas em Saúde e Educação em Saúde. 2014; Rio de Janeiro.[

- Deleuze G. Nietzsche e a filosofia. Ruth JD e Edmundo FD, tradutor. Rio de Janeiro: Editora

Rio, 1976.

- Moebus RN, Merhy EE, Silva E. O usuário-cidadão como guia. Como pode a onda elevar

se acima da montanha? In: Merhy EE, Baduy RS, Seixas CT, Almeida DES, Slomp Júnior H. (organizadores). Avaliação compartilhada do cuidado em saúde: surpreendendo o instituído nas redes. 1.ed. Rio de Janeiro: Hexis; 2016(1), p.43-53. (Políticas e cuidados em saúde; 1).

- EPS em movimento - Entrada Experimentações - Usuário Guia (2014). [On line]; 2014

[Acesso em 20 out. 2017]. Disponível em: http://eps.otics.org/material/entrada-experimentacoes/arquivos-em-pdf/usuario-guia.

- Brasil. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília:

Senado; 1988.

- Romesín HM, García FJV. De Máquinas Y Seres Vivos. Autopoiesis: la organización de lo

vivo. 5.ed. Santiago de Chile: Editorial Univesitaria; 1994.

- Foucault M. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal; 2001.

- Merhy EE, Gomes MPC, Silva E, Santos MFL, Cruz KT, Franco TB. Redes Vivas:

Multiplicidades Girando as Existências, sinais da Rua. Implicações para a Produção do Cuidado e a Produção do Conhecimento em Saúde. Rev. Divulgação em Saúde para Debate. 2014; (52): 153-164.

- Silva R A. No Meio do Caminho, Sempre Haverá uma Pedra. Responsabilidades. 2011

; 1(2): 203-214. [publicação on line]. 2011 [acesso em 02 nov 2017]. Disponível em: http://www8.tjmg.jus.br/presidencia/programanovosrumos/pai_pj/revista/edicao02/3.pdf

- Land MGP. Genealogia: uma investigação criminal aparentemente equivocada: uma

conversa com o texto “Nietzsche, a genealogia e a história” de Michel Foucault. In: Merhy EE, Baduy RS, Seixas CT, Almeida DES, Slomp Júnior H (organizadores). Avaliação compartilhada do cuidado em saúde: surpreendendo o instituído nas redes. 1.ed. Rio de Janeiro: Hexis; 2016(1), p.423-427. (Políticas e cuidados em saúde; 1).

- Agamben G. O que é um dispositivo? Valdati N, tradutor. Out. Travessia. 2005; (5): 9-16.




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2018v4n1suplemp9-26

DOI (PORTUGUÊS): https://doi.org/10.18310/2446-48132018v4n1suplem.911g268

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. Novidade 2019: a Saúde em Redes foi aprovada para indexação na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorimDOAJ; COLECIONASUS