CONTRIBUIÇÃO DO PET-SAÚDE DA FAMÍLIA PARA A FORMAÇÃO: PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DE FISIOTERAPIA

Ingrid de Almeida Becerra Pérez, Ana Gabriela de Figueiredo Araujo, Luciana Margarida De Santana Madruga, Cláudia Helena Soares de Morais Freitas, Geraldo Eduardo Guedes Brito, Jeane Constantino Pereira

Resumo


INTRODUÇÃO: A formação é apontada por estudiosos como um ponto crítico para mudanças necessárias às práticas em saúde, que confluam em direção ao sistema de saúde vigente. Visando impulsionar e fortalecer o processo de reorientação da formação iniciativas institucionais e governamentais estão sendo tomadas, a fim de induzir transformações na Educação Superior em saúde. As Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN), criadas entre 2001 e 2004, destacam-se entre as políticas indutoras, uma vez que visam reorientar as Instituições de Ensino Superior (IES) para a reestruturação do perfil de formação profissional. Nesse sentido, O PET-Saúde da Família, criado em 2008 por articulação entre os Ministérios da Educação e da Saúde, representam uma dessas ações, tendo como objetivo fomentar a formação de grupos de aprendizagem tutorial em áreas estratégicas para o SUS. O curso de Fisioterapia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) ao longo da última década vem implementando estratégias de adequação às DCN. Em 2005 modificou o Projeto Político do Curso, aderiu ao PRÓ-Saúde II em 2007 e ao PET-Saúde da Família em 2008. OBJETIVOS: Verificar a contribuição do PET-Saúde da Família para formação de fisioterapeutas na percepção dos estudantes. METODOLOGIA: Trata-se de estudo com abordagem qualitativa. Para tanto, se utilizou dados secundários originados de instrumento de avaliação semestral do programa - questionário semiestruturado com questões objetivas e uma subjetiva - respondido por 67 estudantes dos cursos de educação física, enfermagem, fisioterapia, medicina, nutrição e odontologia, sendo para esta pesquisa utilizada apenas as respostas subjetivas dos estudantes do curso de fisioterapia. A análise dos dados foi realizada a partir da técnica de análise de conteúdo de Bardin. RESULTADOS: Foram analisados os dados de oito estudantes do curso de fisioterapia participantes do PET - Saúde da Família na vigência 2011-2012, sendo três do sexo masculino e 5 do sexo feminino; com média de idade de 22,25 anos; desses, 75% já haviam concluído metade da carga horária do curso. A partir da análise dos dados dos estudantes emergiram quatro categorias temáticas, quais sejam: Trabalho em Equipe interprofissional; Integração ensino-serviço-comunidade; Construção de perfil profissional diferenciado; Ampliação do conhecimento. O estudo evidenciou a importância de estratégias educacionais permanentes e estruturais que promovam o trabalho colaborativo de caráter interprofissional, a articulação favorável entre as instituições de ensino e os serviços de saúde e a estimulação da aprendizagem baseada na realidade e na reflexão crítica sobre as experiências, tendo em vista a necessidade da construção de um novo perfil profissional afinado com as demandas do sistema de saúde e da população. CONCLUSÃO: Depreende-se dos resultados encontrados que o PET - Saúde da Família se configura como uma importante estratégia de reorientação da formação à medida que promove a inserção precoce dos estudantes nos serviços de saúde e no contexto socioeconômico e cultural da população, além de proporcionar o desenvolvimento de habilidades e competências voltadas para uma construção do cuidado em conformidade com as reais necessidades de saúde da coletividade.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.