RELATO DE EXPERIÊNCIA COM O PROJETO HUMANIZA ILPI: AÇÃO MULTIPROFISSIONAL PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE DE RESIDENTES DA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS JUVINO BARRETO

Catarina Zulmira Souza de Lira, Tatiana Camila de Lima Alves da Silva, Neila Alves de Queiroz, Esmívany Lhara de Freitas Castro, Camila de Lima Pegado, Maria Julia Ferreira Rodrigues

Resumo


INTRODUÇÃO: As Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) são alternativas importantes de cuidados e carecem de maior atenção na saúde pública. Considerando-se que os idosos institucionalizados fazem parte de um contingente populacional prioritário à saúde coletiva e sua maior vulnerabilidade às fragilidades físicas, mentais e exclusão social, ações multiprofissionais são necessárias para garantir à esta população o direto de usufruir integralmente da vida. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Trata-se de uma extensão universitária desenvolvida na ILPI Juvino Barreto, no ano de 2015 ao momento presente, com o objetivo de promover ações multiprofissionais e de promoção da saúde para os idosos residentes nesta instituição, onde conta-se com a participação conjunta de docentes do curso de fisioterapia, além de profissionais colaboradores do direito, psicologia, odontologia e nutrição e discentes dos cursos de fisioterapia, enfermagem, direito, serviço social e psicologia da UFRN e outras instituições do estado, contando com a colaboração dos cuidadores em prol aos idosos institucionalizados. Encontros semanais são realizados voltados a formações clínicas, humanísticas e a saúde pública, para que sejamos capazes de compreender as necessidades globais de saúde destes indivíduos e o seu contexto social. A intervenção do projeto volta-se ao horário de visitas da ILPI, aos sábados, onde desenvolvemos atividades como dinâmicas e rodas de conversas que proporcionem a interação entre os longevos residentes; dança e caminhada estimulando a mobilidade; espaços para pintura e jogos que trabalhem diretamente com o cognitivo senil; passeios internos e; atividades lúdicas, como leitura e música para idosos mais dependentes ou cadeirantes. IMPACTOS: Essa extensão exercita as habilidades discentes para atuação na saúde coletiva, contribuindo para uma formação multiprofissional e cidadã adequada às necessidades da população idosa institucionalizada, mediante o processo educativo que articula o ensino, a pesquisa e a extensão, favorecendo ações concretas que efetivam o papel social da universidade sobre a sociedade. A vivência traz consigo a realidade externa aos muros da academia, possibilitando a atuação em prol da promoção e prevenção da saúde dessa população, normalmente marginalizada e invisível à sociedade e ao poder público, refletindo outra forma de enxergar a saúde e o cuidado ao idoso, de uma maneira mais humanizada e menos tecnicista, vislumbrando que cada pessoa envolvida passe a ter consigo a noção do quanto a atenção, interação - seja através de um olhar, de uma conversa, de um toque - e as mais variadas atividades propostas, são capazes de transformar e levar mais alegria e vivacidade a cada ser humano que o projeto em questão abrange. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Considerando o contexto brasileiro de transição demográfica e epidemiológica, o crescimento da demanda por ILPIs e a dificuldade do estado de responder às múltiplas necessidades de idosos institucionalizados, o projeto de extensão Humaniza ILPI se justifica como uma resposta da universidade à necessidade de transformação social no processo de institucionalização de idosos, proporcionando uma maior aproximação entre essas instituições e garantindo benefícios mútuos tanto para população idosa que sofre com abandono quanto para a comunidade acadêmica que muitas vezes restringe sua atuação na saúde tecnicista e hospitalocêntrica.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.