INSTRUMENTO PARA ORIENTAÇÃO DE PROCESSOS DE MUDANÇA EM PROJETOS PEDAGÓGICOS DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA

Andrea Serra Graniço, Renato dos Santos Almeida, Alba Barros Souza Fernandes, Rondineli de Jesus Barros, Wilma Costa Souza, Marcos Felipe Marinho Correa, Vinicius Baltar de Araujo, Guilherme Rodrigues Barbosa

Resumo


INTRODUÇÃO: Atualmente a formação superior na saúde é orientada pelas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs), que procuram direcionar os projetos pedagógicos dos cursos (PPC) de graduação, levando em conta aspectos assistenciais e da formação acadêmica. Especificamente no campo da fisioterapia, a formação dos profissionais deveria ter como objetivos a transformação das práticas meramente tecnicistas, além da própria organização do trabalho. Assim, deve-se destacar a importância dos PPCs dos cursos, já que nestes devem estar as diretrizes institucionais a serem seguidas pelos docentes. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Após dificuldades apontadas pela comissão de revisão de PPC da graduação em fisioterapia do UNIFESO - Teresópolis/RJ, foi idealizado um instrumento norteador, baseado na realidade do curso, para orientação gerencial referente aos processos de avaliação e reformulação do projeto pedagógico de um curso de graduação em Fisioterapia. Foram convidados profissionais que atuam na área de educação superior voltada para saúde e do cuidado fisioterapêutico para composição de um painel de especialistas e formulação dos itens que devem estar contidos no instrumento. Foi solicitado a todos os profissionais que formulassem possíveis itens faltantes e após esta etapa todos foram compilados para o protótipo apresentado. Os documentos que subsidiaram as discussões foram as diretrizes curriculares nacionais para cursos de fisioterapia, o instrumento de avaliação INEP/MEC para curso de graduação presenciais e o projeto político pedagógico institucional (PPPI). As discussões com o núcleo docente estruturante do curso e com os demais docentes, apontaram a necessidade de conhecimento do PPC por parte de todos os atores envolvidos com as atividades de ensino-pesquisa-extensão do curso. IMPACTOS: Tal conhecimento diminui a sobreposição de conteúdos temáticos, garantia de espaço na agenda de debates referentes a aprendizagem significativa por parte dos estudantes e íntima relação entre atividades teóricas e os cenários de prática. Além de um espaço para identificação do grau de conhecimento do PPC por parte dos docentes, o instrumento proposto possui as dimensões Ensino, Corpo docente, IETEC, Pesquisa e Extensão. Como indicadores de avaliação do impacto da proposta podemos destacar a identificação percentual da quantidade de docentes e preceptores de estágio que efetivamente conhecem o PPC e também a quantificação de aspectos potentes e frágeis do curso. O registro quantitativo de tais aspectos possibilita a tomada de decisão gerencial com a intenção de ajustes nos processos de trabalho do curso. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Entendendo que os PPCs devem ser documentos vivos, isto é, devem se moldar às realidades nacional, loco-regionais e institucionais nos diferentes momentos econômicos-sociais, o instrumento ora apresentado surge com a intenção de oferecer aos docentes e gestores da instituição um guia prático para nortear as práticas de revisão de PPC, além de identificar o grau de conhecimento do PPC por parte dos docentes do curso.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.