PERCEPÇÃO DISCENTE SOBRE DOIS EIXOS COMUNS DE FORMAÇÃO DE UMA GRADE CURRICULAR REFORMULADA

Erivaldo Santos de Lima, Nycolas Emanuel Tavares de Lira, Josicleide Gomes Davi, Ianka Lima da Silva, Cristiane dos Santos, Lucas Soares Santos, Maria Clara Roseno da Silva

Resumo


INTRODUÇÃO: O curso de Fisioterapia da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas teve sua grade curricular reformulada pela coordenação do curso, o Núcleo Docente Estruturante (NDE), e participação de alguns estudantes, com o objetivo de propiciar uma formação que atenda de forma ampliada as competências e habilidades previstas para a formação do fisioterapeuta de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) considerando as necessidades regionais, vigorando dessa forma, a partir do ano de 2014. Com 4880 horas de duração, divididas entre os eixos de formação: Saúde e Sociedade; Desenvolvimento Humano, Fisiopatologia e Práticas Profissionais; Processos de Trabalho; Pesquisa em Saúde; Bases Morfofuncionais, além disso, as atividades complementares (Projeto Político Pedagógico, 2014), assim, pode-se esperar egressos cada vez mais preparados para a atuação frente as demandas da população e do Sistema Único de Saúde (SUS). DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Os dois eixos, Saúde e Sociedade e Processos de Trabalho são transversais e interdisciplinares. No primeiro, alunos de Fisioterapia, Terapia Ocupacional e Fonoaudiologia, até o segundo ano do curso aprendem de forma conjunta aspectos gerais da Atenção Primária em Saúde (APS), a partir do terceiro ano essa formação se volta para as especificidades de cada curso. O mesmo ocorre no segundo eixo, no qual os dois primeiros anos de formação são compostos pelas disciplinas de Fundamentos do Trabalho, Ética e Tecnologias em Saúde e Ética, Alteridade e Diversidade no Cuidado em Saúde. Durante o eixo comum de Saúde e Sociedade, foi possível vivenciar o SUS, reconhecer os desafios e os determinantes sociais no processo de adoecimento a partir da dinâmica de exploração do território e realização de entrevistas aos profissionais dos serviços de saúde visitados bem como aos usuários. O eixo comum de Processos de Trabalho, proporcionou a inserção dos acadêmicos no contexto situacional da população de gays, travestis e transexuais; comunidades indígenas; comunidades quilombolas; povos de terreiros e mulheres negras, bem como na mediação de saberes em eventos regionais, a citar o IV Seminário Alagoano sobre Ética, Alteridade, Diversidade, Eugenismo e o Profissional de Saúde e II Seminário Alagoano sobre a Questão Étnico-racial na Saúde: Políticas Afirmativas do SUS e a Realidade Alagoana. IMPACTOS: Diante dos cenários propiciados pelos dois eixos supracitados, foi possível a desconstrução de preconceitos, o entendimento prático do exercício da alteridade, a visualização da importância da equidade e integralidade no cuidado em saúde, bem como as contribuições dos saberes tradicionais e interdisciplinaridade na efetivação de direitos. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A partir da perspectiva discente, a nova grade curricular, em especial os dois eixos destacados se mostram como primordiais no processo de compreensão do fazer fisioterapêutico além da reabilitação, com um enfoque nas necessidades gerais da população, visando a integralidade, equidade, desenvolvendo a empatia e valorizando os saberes tradicionais na produção do cuidado e formação.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.