PROJETO INTEGRADOR: RELATO DE EXPERIÊNCIA DE UMA DISCIPLINA CONDUZIDA POR ESTRATÉGIAS CENTRADAS NO DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO ALUNO EM FISIOTERAPIA

Karina Durceadilson Apolinarioebe dos Santos Mo Carbone

Resumo


INTRODUÇÃO: O projeto integrador aborda a transdisciplinaridade entre as diferentes disciplinas do 4º semestre de um Curso de Graduação em Fisioterapia, de uma Instituição de Ensino Superior da cidade de São Paulo. O projeto visa romper os limites das unidades curriculares, fortalecendo a tríade ensino-serviço-comunidade, permitindo ao aluno atuar como protagonista de sua formação, assumindo papel ativo na construção do conhecimento e no desenvolvimento de competências e habilidades inerentes ao Fisioterapeuta. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: A disciplina é composta por diferentes métodos de trabalho que percorrem 4 fases, com objetivo de desenvolver algumas competências e habilidades do Fisioterapeuta dentro do seu processo de formação. Na fase 1 é realizada uma avaliação diagnóstica, através de dinâmica de integração e resgate de conteúdos aprendidos em semestres anteriores, na qual o objetivo principal é diagnosticar os déficits de competências como: relação interpessoal, comunicação, gerenciamento do tempo, raciocínio clínico e tomada de decisão. Na fase 2, os discentes recebem casos clínicos ou situações-problema para que sejam trabalhados em sala de aula, como o objetivo de desenvolver os aspectos deficitários diagnosticados na fase 1, reforçar as competências e habilidades já adquiridas e vivenciar outras como: atuação de acordo com as necessidades em saúde; avaliação, pesquisa e análise de informações; liderança; autonomia e responsabilidade. Na fase 3 o aluno inicia o protagonismo em ambiente externo, fortalecendo a tríade ensino-serviço-comunidade, através de observação do Estágio Supervisionado de Fisioterapia em Geriatria e Gerontologia. São realizadas duas etapas estratégias: uma visita à um grupo de promoção do envelhecimento ativo e uma visita domiciliária de um Programa de Atenção Domiciliária ao Idoso. Em ambas as situações os discentes observam, interagem e analisam os casos/situações, local, entorno, necessidades em saúde, participação social, empoderamento do usuário, bem como o fazer fisioterapêutico e competências e habilidades dos colegas estagiários. Posteriormente, apresentam em sala de aula suas observações e propostas de atuação baseadas em suas percepções, no resgate de conteúdo e reflexões acerca das situações e ações. Nesta fase o discente vivencia e desenvolve competências como: responsabilidade social e ética; advocacia em saúde; planejamento e implantação, além das demais trabalhadas anteriormente e que se fortalecem na medida em que passam a fazer parte da consciência do discente. Na fase 4, última da disciplina, é realizada uma dinâmica em grupo, na qual os discentes apontam motivos facilitadores e dificultadores para a contratação de uma colega para uma equipe de trabalho, baseado em seus potenciais e déficits de competências e habilidades para a atuação de um fisioterapeuta. IMPACTOS: a possibilidade de vivenciar situações práticas extra muros institucionais, e se deparar com a tarefa de analisar condutas que envolvam não somente a questão clínica, mas também as competências e habilidades, faz com que o discente entenda seu papel de protagonista na sua formação e na condução de atitudes e escolhas éticas e humanistas, de acordo com as necessidade de saúde de um indivíduo ou coletivo. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A disciplina demonstrou alcançar seus objetivos principais e contribuiu para a formação de profissionais sensibilizados sobre o seu papel e comprometidos com o cuidado.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.