ESTRATÉGIA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM GRUPO DE INDIVÍDUOS PARKINSONIANOS

Evely Evangelista Passos, Wilma Costa Souza, Alba Barros Souza Fernandes, Andrea Serra Graniço, Rondineli de Jesus Barros, Renato dos Santos Almeida, Marcos Felipe Marinho Correa, Ana Maria Braga

Resumo


INTRODUÇÃO: A Doença de Parkinson (DP) é uma doença crônica degenerativa que acomete principalmente indivíduos acima de 50 anos. Sem causa conhecida, relaciona-se à degeneração de neurônios que produzem um neurotransmissor chamado dopamina. Dentre os sinais e sintomas mais importantes destacam-se o tremor, a lentidão dos movimentos, a rigidez dos músculos e as alterações posturais. Com a evolução da doença ocorrem alterações do equilíbrio e da marcha favorecendo quedas. Além disso, o paciente perde os movimentos dos músculos da face e há dificuldade de fala e de deglutição A Associação Parkinson Carioca (APC) está situada no município do Rio de Janeiro, área que registra o terceiro maior percentual de população idosa e uma das maiores taxas de mortalidade da cidade3. A APC oferece atendimento de fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia e de enfermagem, além de promover educação para a saúde, atividades culturais e recreativas. Trata-se de uma Organização Não Governamental (ONG) que atende no momento cerca de 80 pacientes parkinsonianos e conta com a colaboração de 13 profissionais voluntários. As organizações não governamentais (ONG) fazem parte do terceiro setor, surgiram em resposta à ineficiência do Estado e têm uma importante responsabilidade social ao desenvolver ações que beneficiam as comunidades, principalmente as carentes. Uma das propostas da atual diretoria é a conscientização para a luta por direitos embora a carência de cuidados de saúde na região tem colocado como prioritária a assistência.Uma das propostas da atual diretoria é a conscientização para a luta por direitos embora a carência de cuidados de saúde na região tem colocado como prioritária a assistência. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: O trabalho será realizado em um dos grupos de pacientes atendidos pela APC, composto de 9 homens e 6 mulheres, com média de idade 59,6±9,34 anos. A metodologia a ser aplicada será “Problem Solving for Better Health” (PSBH) que foi desenvolvida na universidade Americana de Cornell e é conhecida no Brasil como Construção Compartilhada de Soluções em Saúde. Essa tecnologia social vem sendo desenvolvida no Brasil desde 1990 pelo Centro de Promoção da Saúde (Cedasps). Trata-se de ferramenta que visa a capacitação de profissionais de saúde e de lideranças comunitárias para o planejamento de ações que minimizem ou solucionem os problemas identificados em comunidades e instituições6. A metodologia é voltada para a análise dos problemas e dos recursos comunitários para a elaboração de projetos de intervenção. As fases do PSBH, a serem aplicadas na APC serão: levantamento do problema; pesquisa entre os usuários; debate coletivo; definição e hierarquização dos problemas; planejamento participativo de programas e ações locais; elaboração do projeto de intervenção e ação concret. IMPACTOS: Espera-se que ao final do projeto o grupo possa compreender melhor seus problemas e recursos disponíveis, adquira novas habilidades e construa redes de relações desenvolvendo estratégias para melhoria de suas condições sociais. pesquisa entre os usuário. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A construção compartilhada de soluções em saúde é uma ferramenta potente para a promoção do empoderamento de grupos comunitários que partilham dificuldades comuns.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.