ACOLHIMENTO NO ÂMBITO DA SAÚDE PÚBLICA SOB A ÉTICA DE TRANSEXUAIS

Maitê Burgo Costa, João Pedro Cândido, Patricia Lira Bizerra

Resumo


INTRODUÇÃO: A identidade de gênero é uma construção social e transcende a identidade aprendida, portanto, histórica de modo que pode-se pressupor que essa caracterização é variável e que haveria diversas concepções de feminino e masculino, que podem ou n‹o ter influências do meio social, ambiental na construção do “eu" e também influenciar este meio. A invisibilidade, a discriminação, preconceito e violações de todas as naturezas são exemplos dos principais enfrentamentos que os transexuais (trans) são submetidos ao decorrer dos séculos. Esses fatores influenciam negativamente no acesso aos serviços públicos em nosso país, como a educação, saúde, meios sociais, segurança pública, entre outros. Contudo, essa população está exposta a diversos riscos como sua integridade psíquica, física e moral o que diminui sua qualidade de vida e leva a processos de sofrimento, prejudicando desta forma sua saúde mental e física. A Política Nacional de Atenção á Saúde Integral a População LGBT, apenas beneficia o público transexual com o processo transexualizador e ações de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DST?AIDS), o que acaba por n‹o contemplar este público com propostas de educação em saúde e outras estratégias para que o sistema vigente em nosso país abranja o atendimento, sendo resolutivas as reais necessidades desse público que apresenta particularidades que devem ser respeitadas, seguindo os princípios do SUS. OBJETIVO: Pretendem-se com este estudo discutir as questões pertinentes á saúde sob a perspectiva de homens e mulheres transexuais, identificando a assimilação desta população acerca do acolhimento em saúde. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo de caráter descritivo e qualitativo. Teve como população alvo homens e mulheres transexuais, em Campo Grande - MS. A análise dos resultados baseou-se em Minayo, que seguiu duas etapas: (1) Análise; (2) Tratamento dos Resultados/Inferência/Interpretação. Questão norteadora: Descreva no seu ponto de vista qual a atuação dos profissionais dos estabelecimentos de saúde que já frequentou no que diz respeito ao acolhimento?. RESULTADO: Apesar da existência de uma política pública e decretos de lei de esfera estadual e federal voltados a população supracitada, evidenciou-se nesse estudo que existe falha no processo de acolhimento de transexuais, sendo citado pelos participantes como despreparo, desrespeito e discriminação por parte dos profissionais, principalmente no que diz respeito ao nome social. CONCLUSÃO: Conclui-se dessa forma, que tem-se um caminho longo a ser percorrido para que a formação em saúde, integre as suas grades curriculares disciplinas direcionadas a discutir identidade de gênero e processo saúde-doença, pois como observado neste estudo há um distanciamento sobre o entendimento e correlação dos mesmos, desde a academia até os serviços de saúde.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.