AS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS E SUA INTERFERÊNCIA NAS ALTERAÇÕES GINECOLÓGICAS

Elisa Gabardo Lima, Camila Bueno Brasil, Gabrielle Esther Doi, Natalie Battaglia Quintas, Raciele Ivandra Guarda Korelo, Rubneide Barreto Silva Gallo

Resumo


INTRODUÇÃO: As Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) são definidas como um conjunto de doenças multifatoriais que possuem longos períodos de latência e diferentes fatores de risco, como Hipertensão Arterial, Diabetes e Obesidade, podendo interferir no surgimento ou piora das disfunções ginecológicas, como as Disfunções Sexuais, Síndrome Metabólica e Síndrome do Ovário Policístico. OBJETIVO: Estabelecer a interferncia das Doenas Crônicas N‹o Transmissíveis (DCNT) nas alterações ginecológicas prevalentes nas mulheres. METODOLOGIA: É uma revisão integrativa da literatura, cujas pesquisas foram realizadas nas bases de dados: Scielo, PubMED e PEDro, a pesquisa ocorreu no período de Julho de 2016 a Maio de 2017, foram incluídos estudos publicados a partir de 2010, dispostos em língua portuguesa; inglês e espanhol, disponível na íntegra sendo artigos experimentais e transversais relacionados ao tema central da pesquisa. Os artigos excluídos foram artigos que n‹o abordavam a temática central do estudo, estudos de revisão e artigos não disponíveis na íntegra. RESULTADO: Foram encontrados 219 artigos, porém somente 8 artigos compuseram o escopo dessa revisão, pois estavam de acordo com a temática delimitada. Após análise dos artigos Observou-se que a Hipertensão Arterial e Obesidade estavam associadas à Síndrome Metabólica; Diabetes Mellitus foi a mais incidente e estava associadas a Disfunção Sexual mas o tratamento sempre focado na queixa da mulher, sem controle da influência das DCNT no processo de recuperação. N‹o foram encontrados estudos relacionando demais disfunções ginecológicas. CONCLUSÃO: Notou-se que é escasso o número de estudos que correlacionam as DCNT ˆs alterações ginecológicas, sendo um dado importante para atuação da fisioterapia tratamento dessas disfunções, mas principalmente minimizar os fatores de risco, prevenindo-os.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.