AVALIAÇÃO DA DOR, DO ESTILO DE VIDA E DA INCAPACIDADE FUNCIONAL DA COLUNA VERTEBRAL EM CUIDADORES DE UMA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

Nathália Serafim da Silva, Ana Paula Soares dos Santos, Débora Mayumi de Oliveira Kawakami, Alexandre Falkembach, Rafael Alexandre Beitum, Ana Lòcia Jesus de Almeida, Renilton Josƒ Pizzol

Resumo


INTRODUÇÃO: O cuidador na Atenção Domiciliar é considerado elemento central para o cuidado integral de pessoas em situação de vulnerabilidade física e funcional. No entanto, a tarefa de cuidar pode acarretar progressivamente uma sobrecarga em diferentes domínios da vida, tanto emocional como físico que pode levar a importantes problemas de saúde. Devido à essa situação complexa a avaliação de aspectos que indiquem uma sobrecarga do cuidador deve ser sempre considerada para possibilitar intervenções precoces da equipe de saúde contribuindo com a prevenção de doenças que impactam negativamente na qualidade do trabalho do cuidador e, consequentemente, na vida da pessoa cuidada. OBJETIVO: Avaliar dor, estilo de vida e incapacidade funcional da coluna vertebral vida de cuidadores de pessoas adstritas/acamadas em uma Estratégia de Saúde da Família no município de Presidente Prudente - SP. METODOLOGIA: O estudo caracteriza-se como descritivo, transversal e qualitativo com amostra composta por cuidadores de pessoas adstritas/acamadas. Para avaliar o perfil, estilo de vida e incapacidade funcional da coluna vertebral dos cuidadores foram aplicados quatro instrumentos: a) Ficha de dados pessoais (nome, grau de parentesco com o cuidado e ocupação atual); b) Ficha de dados clínicos (queixa principal, anamnese e presença/nível de dor pela EVA); c) Avaliação do Estilo de Vida (pentáculo do bem estar); d) incapacidade funcional da coluna vertebral (Roland Morris). RESULTADO: Foram avaliados 30 cuidadores que apresentaram as seguintes características pessoais: idade média = 56,1 anos; 25 (83,3% do total) eram do sexo feminino; 24 (80%) tinham relação familiar com o cuidado e 7 (23,3%) desempenhavam uma segunda ocupação. Em relação à clínica, 24 (80%) apresentaram queixa de dor. Na identificação do estilo de vida foram observados os seguintes escores (média ± desvio padrão): atividade física = 2,5 ± 2,2; estresse = 5,3 ± 2,2; nutrição = 5,0 ± 2,4; nível de prevenção = 7,0 ± 1,9 e nível de satisfação com o relacionamento social = 5,7 ± 2,9. Já quanto ao Roland Morris 8 cuidadores (26,6%) apresentaram escore maior ou igual a 14 indicando incapacidade funcional. Em análise de correlação entre os escores do Roland Morris e da EVA, foi observado que os cuidadores com menor incapacidade funcional obtiveram escore de dor médio = 4,8 ± 3,6, enquanto que os cuidadores com maior incapacidade funcional obtiveram escore = 6,3 ± 2,9. CONCLUSÃO: Os cuidadores avaliados neste estudo apresentaram queixas de dor, relação entre a dor e a incapacidade funcional da coluna vertebral e percepção de bem estar negativa para a realização de atividade física e regular para níveis de estresse, nutrição e satisfação com relacionamento social indicando que aspectos de sobrecarga física, emocional e social já estão presentes em uma população predominantemente feminina ainda em faixa etária produtiva que necessita de um suporte oferecido pela equipe de saúde que garanta a preservação de sua saúde e a manutenção qualificada da difícil tarefa de cuidar.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.