RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO: EXPERIÊNCIA DA FISIOTERAPIA

Mariana Colombini Buranello, Suraya Gomes Novaes Shimano, Lislei Jorge Patrizzi, Shamyr Sulyvan de Castro

Resumo


INTRODUÇÃO: Os programas de residência multiprofissional em saúde têm por objetivo qualificar profissionais para trabalhar no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), levando em consideração o seu princípio de integralidade e tem como um de seus alicerces, a relação entre diversas profissões atuando de forma integrada e articulada objetivando garantir maior efetividade da integralidade e do cuidado à saúde (SALVADOR, et al 2011). Neste cenário, o profissional da fisioterapia possui grande valia e amplas possibilidades de atuação. Por dominar conhecimentos específicos ao seu campo de trabalho, se configura como um elemento essencial na constituição da equipe multiprofissional em saúde. Na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), a Residência Integrada e Multiprofissional em Saúde (RIMS) foi criada em 2010, dividida em três eixos: saúde da criança e adolescente, saúde do adulto e saúde do idoso. Todas as áreas possuem profissionais de enfermagem, nutrição, terapia ocupacional, serviço social, educação física e fisioterapia. Assim, o relato da experiência de um fisioterapeuta na residência multiprofissional além de enriquecer o debate na área, possibilita a troca de experiências para o avanço da profissão no trabalho em equipe multiprofissional. Divulgar os sucessos e evidenciar as dificuldades oferece a todos os envolvidos a oportunidade de compartilhar as boas experiências e também a chance de construir coletivamente processos de superação dos obstáculos. Este relato de experiência apresenta a vivência de um fisioterapeuta na RIMS ? UFTM em saúde do idoso. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: O primeiro ano de residência é realizado no Hospital de Clínicas da UFTM, no setor de Clínica Médica. O fisioterapeuta atuou tanto no atendimento individual ao idoso quanto com projetos visando a promoção da saúde e prevenção de agravos. Neste sentido, projetos como Cuidando do Cuidador, Dicas para Orientação da Alta Hospitalar e Particularidades do Cuidado ao Paciente Idoso são exemplos de inserção da fisioterapia, que possui papel essencial em seu desenvolvimento, abordando temas pertinentes à área. No segundo ano, o trabalho é realizado na atenção básica, a equipe passa a atuar em uma Unidade Básica de Saúde (UBS). O foco principal é a promoção da saúde e prevenção de doenças. São desenvolvidos projetos como: Ginástica Orientada para a Terceira Idade, Dicas Práticas de Orientação para Visita Domiciliar, além da organização de eventos como a Semana do Idoso na UBS. O fisioterapeuta atuou tanto na formulação dos projetos como na execução e avaliação dos resultados dos mesmos e participou das reuniões da equipe da UBS. IMPACTOS: O impacto da atuação da fisioterapia na equipe multiprofissional envolve desde o reconhecimento da profissão por outras classes e serviços até o impacto na saúde dos idosos, com prática de atividade física, orientações posturais, orientações quanto ao risco de quedas, cuidados com o cuidador do idoso, práticas essas comuns no dia-a-dia do fisioterapeuta da equipe multiprofissional. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Participar de uma equipe de residência multiprofissional é de extrema relevância para a formação do fisioterapeuta, traz a experiência do trabalho em equipe visando o cuidado integral ao indivíduo, a vivência de trabalho no SUS em diferentes níveis de atenção, proporcionando uma formação ampla com experiências diversificadas.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.