AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE ESTRESSE E O IMPACTO NA SAÚDE DA MULHER

Deborah Varjabedian, Marília Martins, Camila Sotello Raymundo, Luciana Caglione Martins, Ana Carolina Vaz dos Santos, Karina Santaella, Alceu Nascimento Miranda Junior, Elaine Fernandes Ferrìo

Resumo


INTRODUÇÃO: O estresse é causador de diversas alterações no organismo, toda vez que estamos frente a uma situação de estresse o eixo hipotálamo-pituitária-adrenal é acionado, ocorrendo diversas modificações nos sistemas do corpo humano. Já é sabido através de estudos que as mulheres estão mais propensas a fatores desencadeadores de estresse do que os homens, pois assumem diferentes papéis na sociedade, além de cuidar da casa e da família, ainda exercem o papel profissional. OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi identificar o nível de estresse das mulheres pesquisadas, identificar os principais sintomas e doenças que essas mulheres possuem e correlacionar o estresse com esses sintomas e doenças, com a idade, as características familiares e a prática de atividade física dessas mulheres. METODOLOGIA: Para a realização da pesquisa foi utilizado como questionário a Escala de Estresse Percebido; e outro questionário criado para este estudo com perguntas diretas, tanto objetivas quanto dissertativas. A amostra foi composta por 80 mulheres de 20 a 65 anos, profissionalmente ativas. RESULTADO: Como resultado foi obtido que 75% das mulheres sofrem de ansiedade e 45% das mulheres sofrem de enxaqueca; 23% das mulheres de 20 a 30 anos, 18,18% das mulheres não casadas, 17,14% das mulheres sem filhos e 20% das mulheres que n‹o praticam atividade física, estão acima do nível de estresse determinado pelo desvio padrão. As mulheres de 20 a 30 anos possuem o nível de estresse mais elevado do que os demais grupos e as mulheres que praticam atividade física regular, possuem nível de estresse mais baixo do que as mulheres que n‹o praticam atividade física. CONCLUSÃO: Concluiu-se através do cálculo de correlação de Pearson que há uma correlação moderada entre o nível de estresse e a quantidade de sintomas/doenças e que n‹o houve correlação significante entre estresse, idade, casamento, filhos e atividade física. Além disso, o grupo de mulheres não casadas, sem filhos e que n‹o praticam atividade física regular possuem nível de estresse mais elevado do que as demais combinações de variáveis.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.