CONDUTA FISIOTERAPÊUTICA NO DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR EM CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN

Gabriela Pereira Avolio, Paula Soares, Alana Fontoura, Ana Carolina Botelho, Julia Santana, Marina Canellas, Karoline Pires e Sergio Ricardo Martins

Resumo


INTRODUÇÃO: A Síndrome de Down (SD) é uma das alterações genéticas cromossômicas mais conhecidas, trata-se de uma desordem genética e sua causa principal é a Trissomia do cromossomo 21. podendo em casos mais raros, ser causada por disfunção genética ou simplesmente pela translocação deste cromossomo. O desenvolvimento motor já é analisado a partir dos primeiros meses, e nas crianças com esta síndrome, independente do nível de deficiência mental, elas podem adquirir um nível de habilidades motoras elevado, na mesma proporção ou muito próximo do que se espera em relação às crianças que n‹o possuem essa patologia. Porém, esse processo pode levar até o dobro do tempo estimado para que as habilidades sejam adquiridas e aperfeiçoadas. Assim , quanto mais imediatas forem as intervenções, maiores serão as chances de minimizar ou prevenir modificações do desenvolvimento. Esta baseia-se em exercícios de acordo com o estágio em que a criança está, visando seu desenvolvimento. OBJETIVO: Verificar conduta fisioterapêutica para o desenvolvimento psicomotor da criança de Síndrome de Down. METODOLOGIA: A presente pesquisa caracterizou-se do tipo exploratória pré e pós teste onde o indivíduo é seu próprio controle, ou seja, ele é comparado com ele mesmo. O Teste de Triagem de Desenvolvimento de Denver (TTDD) é um instrumento de detecção precoce das condições de desenvolvimento da criança, avaliando quatro áreas: motor-grosseiro, motor fino adaptativo, linguagem e pessoal-social. A conduta motora está associada à maturação do sistema nervoso, correspondendo ao controle das aquisições motoras. A conduta de linguagem abrange as percepções de sons, imagens e suas respostas, enquanto a conduta adaptativa compreende a reação da criança frente a objetos e situações. Já a conduta pessoal-social corresponde à avaliação do comportamento frente a estímulos culturais. RESULTADO: A criança avaliada apresentou desempenho anormal no desenvolvimento neuropsicomotor. A maior concentração de atrasos foi no setor motor grosso, seguido da área da linguagem. O número de atrasos tanto no setor motor fino, quanto no setor pessoal-social foi menos expressivo, mas importante. Os itens com maior concentração de atraso, nas quatro áreas avaliadas, em ordem decrescente de ocorrência, foram: setor motor grosso “Sustenta o tronco com apoio dos braços", "Fica de pé com apoio", "Puxar para ficar de pé", "Fica de pé por 2 segundos", "Sustenta forças nas pernas" e "Engatinha". CONCLUSÃO: área da linguagem- "Vocaliza sílabas", "Imitas sons", "Papa e mama n‹o específicos", "Tagarela" e "Papa e mama específicos".

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.