ESTUDO SOBRE OS IMPACTOS HEMODINÂMICOS E DE QUALIDADE DE VIDA DE ESTUDANTES DA ÁREA DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

Hugo Hilário dos Santos Júnior, Gabriela Mota Ayres Rodrigues, Bruna da Silva Sousa, Priscila Barbosa, Vera Regina Fernandes da Silva Marìes

Resumo


INTRODUÇÃO: As atividades acadêmicas de maneira geral ocasionam em sua maior parte do tempo algum tipo de alterações emocionais, impactando nas relações familiares e sociais, de forma que essas alterações podem acarretar modificações fisiológicas nos diversos sistemas corporais, principalmente o cardiovascular devido a sua relação com estresse e alimentação. OBJETIVO: Analisar os impactos hemodinâmicos e na qualidade de vida de estudantes expostos ao estresse acadêmico. METODOLOGIA: Realizou-se um questionário on-line contemplando questões sobre saúde CAAE (55563916.3.0000.0030), estresse acadêmico e pressão arterial mensurada nos últimos três meses. Participaram da pesquisa 160 respondentes da Universidade de Brasília - UnB, sendo 138 do sexo feminino e 22 do sexo masculino e, com média de 21,31 anos, sendo dos cursos da área de saúde: Educação física (3), Enfermagem (20), Farmácia (22), Fisioterapia (65), Fonoaudiologia (5), Medicina (2), Nutrição (16), Psicologia (7), Saúde Coletiva (6) e Terapia Ocupacional (14). RESULTADO: A respeito da saúde, os respondentes precisavam classificar sua saúde nos últimos três meses, sendo que 68,2% classificaram como boa, 5% excelente, 21,8% muito boa, 0,8% péssima e 4,2% como ruim, demonstrando que a maioria dos estudantes apresenta uma saúde relativamente boa sob sua percepção. Ao serem questionados sobre sentirem-se estressado nos últimos meses 68,2% relataram sentir-se muito estressado, 21,25% pouco estressado, 6,8% algum estresse e apenas 3,75% nenhum pouco, sendo que dos que relataram muito estresse 10,09% apresentaram níveis de pressão arterial acima de 130 x 60 mmHg. A média de pressão arterial sistêmica apresentada pelos voluntários foi de 110 x 70 mmHg (Desvio Padrão ±6,3 sistólica e ±4,2 diastólica), em que se levarmos em consideração o desvio padrão acredita-se que o nível de estresse dos estudantes da área da saúde pode repercutir hemodinamicamente a longo prazo. CONCLUSÃO: Tendo em vista os resultados apresentados, acredita-se que a longo prazo o estresse afetara o sistema cardiovascular dos estudantes da área de saúde, e que se as mensurações tivessem sido realizadas pelos pesquisadores seriam encontrado maior repercussão hemodinâmica.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.