EXPERIÊNCIA E PERCEPÇÃO DAS PUÉRPERAS COM ASSISTÊNCIA AO PARTO E A CONTRIBUIÇÃO DA FISIOTERAPIA

Thalita Cristina Wolff Bertotti, Thais do Amaral Tomasoni, Jessica Perez, Raciele Ivandra Guarda Korelo, Rubneide Barreto Silva Gallo

Resumo


INTRODUÇÃO: O ciclo gravídico-puerperal consiste em um evento biológico, social e emocional o qual a mulher é exposta a diversas situações tanto no trabalho de parto, parto e pós parto e é submetida a diversas alterações corporais cujas proporcionam desconfortos e diminuição da qualidade de vida, e consequentemente, uma experiência negativa com o parto. OBJETIVO: Avaliar a experiência e percepção das puérperas com a assistência ao parto e a contribuição da fisioterapia. METODOLOGIA: Universidade Federal do Paraná, Curitiba/PR, no período de agosto de 2016 a março de 2017. As puérperas incluídas responderam uma ficha de dados pessoais e obstétricos e o Questionário de Experiência e Satisfação com o parto. RESULTADO: O somatório do QESP foi escore médio de 2,83±1,04 (IC 95% 3,05-3,27), considerando que as puérperas estavam um pouco satisfeitas com a experiência e satisfação com o parto. Os escores médio das subescalas condições e cuidados prestados pela maternidade 3,17±0,24 (IC 95% 3,05-3,27), suporte da equipe 3,06±0,11 (IC 95% 2,80-3,32) e suporte do companheiro 3,14±0,23 (IC 95% 3,03-3,39), as puérperas demonstraram-se bastante satisfeitas. Entretanto, a média de escore para as subescalas Experiência Positiva 2,63±0,44 (IC 95% 1,56-3,28), Relaxamento 2,05±0,18 (IC 1,47-2,73), Preocupações 2,02±0,51 (IC 95% 1,32-2,27), e Pós-parto 2,57±0,87 (IC 95% 2,66-3,25), observa-se que as mesmas encontravam-se um pouco satisfeitas, confirmada pela subescala Experiência Negativa nas quais consideraram que a experiência de parto foi muito negativa média de 4,01±2,12 (IC 95% 2,40-2,73). A fisioterapia obstétrica tem a competência de proporcionar controle da dor, relaxamento e bem-estar à mulher, além de atuar em educação em saúde preparando-a desde a gestação até o pós parto, a fim de promover uma melhor experiência com parto, todavia o conhecimento e a promoção desta assistência é ainda desconhecida por grande parte desta população. CONCLUSÃO: As puérperas desse estudo encontram-se um pouco satisfeitas com a experiência de parto e destacando-se muita preocupação acerca da saúde do recém-nascido, pouco uso de técnicas de relaxamento, experiência negativa principalmente relacionado a dor e expectativas nas diferentes fases do ciclo-gravídico. A fisioterapia âmbito da obstetrícia auxilia na melhoria desses resultados, atuando desde a educação em saúde até a assistência aos desconfortos presentes nesta fase.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.