PERFIL DE PATICIPANTES DE UM GRUPO DE EXERCÍCIOS FÍSICOS OFERECIDO POR RESIDÊNCIA EM FISIOTERAPIA EM ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE - SP

Nathália Serafim da Silva, Ana Paula Soares dos Santos, Dƒbora Mayumi de Oliveira Kawakami, Alexandre Falkembach, Rafael Alexandre Beitum, Renilton José Pizzol, Ana Lúcia de Jesus Almeida

Resumo


INTRODUÇÃO: A Saúde da Família é uma importante estratégia de reorganização das práticas na Atenção Primária à Saúde (APS) ao articular com os demais níveis de complexidade de atenção para garantir a continuidade do cuidado e a integralidade das ações. A dinâmica proposta pela ESF deve ser centrada na promoção da qualidade de vida e intervenção nos fatores de risco, permitindo um melhor acompanhamento das famílias. O trabalho em grupos na APS realizado pelo fisioterapeuta é uma alternativa, pois cria espaços que favorecem o aprimoramento e crescimento de todos envolvidos, valorizando os diversos saberes e criando o acesso para a intervenção no processo de adoecimento dessa população. OBJETIVO: Este estudo teve como objetivo caracterizar o perfil de pessoas atendidas em um grupo de exercícios físicos oferecido pelo Programa de Residência em Fisioterapia em Estratégia de Saúde da Família no município de Presidente Prudente - SP. METODOLOGIA: O estudo caracteriza-se como descritivo e transversal. A amostra foi composta por 31 integrantes do grupo de atividades física da ESF. As variáveis escolhidas para compor o perfil foram: dados pessoais, aspectos da moradia, hábitos, doenças diagnosticadas e informações sobre a família. Para avaliar a mobilidade e o equilíbrio funcional foi utilizado o Teste Timed up and go (TUG).Para análise dos resultados foi elaborado um banco de dados no Excel, sendo aplicado para as amostras dependentes o teste T pareado nos casos de distribuição normal, caso contrario, foi realizado o teste de Willcoxon. São considerados significativos os valores de P menores que 0,05. RESULTADO: Dos 31 indivíduos, 23 (74,2%) são do sexo feminino, e 8 (25,8%) são do sexo masculino, sendo que dessas 23 mulheres, somente 5 (21,73%) encontram-se abaixo de 60 anos enquanto que todos os homens estão acima de 60 anos de idade. Em relação a prática do exercício físico, 27 (87,1%) relataram praticar atividade física regular e 4 (12,9%) relataram não serem praticantes de atividade física. Todos os participantes apresentaram doenças associadas, sendo que 9 (29%) apresentaram pelo menos uma doença associada, 17 (54,8%) até três doenças associadas e 5 (16,1%) relataram até cinco doenças associadas. Em relação ao IMC 2 (6,5%) participantes estavam abaixo do peso, 8 (25,8%) apresentaram valores normais, 16 (51,6%) estavam acima do peso e 5 (16,1%) com obesidade. Dos participantes que realizam o grupo de atividade física, 2 apresentaram risco de queda elevado segundo a avaliação do TUG. A análise estatística não apresentou valores significativos. CONCLUSÃO: Os participantes que realizam um programa de exercícios físicos mostraram um perfil predominante de idosos do sexo feminino com sobrepeso e pequeno risco de queda. A idade acima de 60 anos, a maior adesão por parte do sexo feminino, os resultados do IMC são informações que contribuem para o direcionamento das ações dos fisioterapeutas e da equipe, tanto no sentido de definir os exercícios, como para a busca de estratégias para ampliar o número de participantes.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.