PREVALÊNCIA DE ANSIEDADE EM ESTUDANTES DE FISIOTERAPIA DE UM CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NOROESTE DO PARANÁ

Michelle Cardoso Machado dos Santos, Mateus Dias Antunes, Sonia Maria Marques Gomes Bertolini, Regiane da Silva Macuch

Resumo


INTRODUÇÃO: Diversas mudanças e adaptações na rotina e nos hábitos de vida ocorrem ao ingressar na vida universitária, visto que os indivíduos passam a enfrentar desafios acadêmicos, que se configuram em situações que predispõem a situações de stress físico, mental e emocional. Dentre diversas condições que interferem a saúde, a ansiedade é um sintoma de grande prevalência neste grupo. Já está evidenciado que ao ingressar no ensino superior, o estudante passa por uma transição que gera ansiedade dependendo da estrutura do ciclo básico, da formulação da grade curricular, dos horários disponibilizados para os alunos e do número de demandas, além das características individuais de cada aluno. OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi identificar a prevalência de ansiedade em estudantes de fisioterapia de um Centro Universitário no Noroeste do Paraná. METODOLOGIA: Consistiu em um estudo transversal, quantitativo, no qual foi incluída uma amostra por conveniência, incluindo 181 acadêmicos de ambos os sexos, compreendendo todas as faixas etárias, matriculados regularmente no primeiro ao quarto ano matutino do curso de fisioterapia de uma instituição de ensino superior localizada em Maringá, noroeste do Paraná. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de ética e Pesquisa do Centro Universitário de Maringá - UNICESUMAR sob o parecer número 1.627.138. Foi utilizado um questionário semiestruturado pelos pesquisadores com os dados pessoais (idade, sexo e estado civil) e presença de ansiedade (sim/não). Os dados foram tabulados e tratados no software Microsoft Excel versão 2010 por meio da estatística descritiva. RESULTADO: Os resultados obtidos foram: média de idade foi de 20,9±3,9 anos, maioria (82%) do sexo feminino, solteiro (92%) e a prevalência de ansiedade foi de 81% na população estudada. CONCLUSÃO: Assim, conclui-se que a ansiedade teve alta prevalência nos estudantes de fisioterapia de um Centro Universitário no Noroeste do Paraná. Nesse sentido, se faz importante identificar a prevalência de ansiedade de estudantes universitários de fisioterapia, para poder planejar intervenções para melhorar a relação ansiedade e ensino-aprendizagem, bem como, desenvolver e implantar ações de promoção da saúde e gestão do conhecimento nas organizações de ensino.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.