QUALIDADE DE VIDA EM TABAGISTAS

Luciana Bilitçrio, Bruna Jaiane Matos Santos, Hebert Biìo Santos, Claòdia Monteiro de Souza, Igor Alonso Andrade Oliveira, Cristiane Maria Carvalho Costa Dias, Aquiles Assun‚Ìo Camelier

Resumo


INTRODUÇÃO: O tabagismo é considerado uma doença resultante da dependência da nicotina e está associado ao aumento dos custos sociais e econômicos devido a morbidade relacionada ao fumo gerando maior predisposição para disfunções e incapacidades que podem interferir na qualidade de vida. OBJETIVO: Descrever a qualidade de vida em indivíduos tabagistas. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo descritivo, com tabagistas, admitidos em um ambulatório de tabagismo localizado em Salvador, Bahia. Foram considerados como critérios de inclusão indivíduos tabagistas com idade igual ou superior a 18 anos. Foram excluídos os que apresentaram diagnóstico de DPOC e os que apresentaram dificuldade de compreensão dos questionários de tolerância de Fagerstrom e de qualidade de vida WHOQOL-bref. Foi utilizado o software "Statistical Package for Social Sciences (SPSS)" para análise dos dados e o teste t de Student foi utilizado para verificar a diferença entre as médias dos grupos. RESULTADO: Amostra composta por 49 participantes, maioria do sexo feminino 35 (74,4%), com renda familiar de até 4 salários mínimos 34 (39,4%), sendo a afecção mais comum auto relatada a hipertensão arterial sistêmica 15 (30,5%); quanto a dependência a nicotina 23 (47,0%) indivíduos apresentaram elevada dependência e 21 (42,8%) baixa dependência. Os indivíduos com elevada dependência tiveram escores mais baixos nos domínios do WHOQOL, sendo estaticamente significante o domínio físico (p<0,03). CONCLUSÃO: Os tabagistas com elevada dependência nicotínica apresentaram menores escores no questionário de QV no domínio físico quando comparados aos tabagistas com baixa dependência.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.