QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: AVALIAÇÃO DE CABELEIREIROS DE SALÕES DE BELEZA DO RIO DE JANEIRO

Karla Kristine Dames da Silva, Danielle Cristine de Oliveira Duarte, Cêntia Ferreira de Oliveira, Thayara da Silva Ferreira, Kenia Alexandrina da Cruz

Resumo


INTRODUÇÃO: Qualidade de vida de um profissional pode interferir tanto na atividade exercida quanto na vida pessoal do trabalhador, afetando seu estado de saúde e sua produtividade. Os cabeleireiros apresentam uma jornada de trabalho extremamente exaustiva e tendenciosa ao estresse ocupacional, devido a multiplicidade da seu trabalho, pouco número de pausas durante a jornada, grande volume de serviço, instrumentos e postos de trabalhos inadequados e, em alguns casos, a competitividade no ambiente de trabalho. Esses fatores juntos podem levar o profissional ao surgimento da DORT e piora da qualidade de vida. OBJETIVO: Analisar a qualidade de vida relacionada ao trabalho de cabeleireiros de salões de beleza do Rio de Janeiro. METODOLOGIA: O projeto foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa do IFRJ e respeitou os preceitos da resolução CNS n. º 466/12. Os voluntários da pesquisa foram cabeleireiros de diferentes salões de beleza do Rio de Janeiro, todos assinaram termo de consentimento livre e esclarecido. Foi realizada análise de possíveis riscos ocupacionais, por meio de questionário próprio elaborado e avaliação da qualidade de vida utilizando a versão brasileira do questionário de qualidade de vida SF-36, questionário composto de 8 domínios (36 itens) contabilizados por Score Range, sendo o valor final obtido de 0 a 100, onde 0 é o pior estado e 100 o melhor. RESULTADO: Foram avaliados um total de 24 cabeleireiros, sendo 17 do sexo feminino e 7 do sexo masculino, tendo a faixa etária entre 21 e 63 anos. Foram criados 3 categorias de para avaliar o resultado de cada domínio sendo intervalo cujos os escores ficaram de 100 à 68 pontos, foram categorizados como melhor QDV, o intervalo que compreende os escores de 34 à 67 indicam QDV mediana ou razoável, e compreenderam o intervalo de 0 à 33 pontos foram classificados com pior QDV. Nos resultados os domínios que apresentam melhor QDV são saúde mental, aspectos sociais e capacidade funcional. Os domínios que apresentam pior QDV é limitação por aspectos físicos, dor e limitação por aspectos emocionais. CONCLUSÃO: Os resultados demonstraram que a atividade laborativa de cabeleireiros sem a devida orientação biomecânica favorece a manutenção de posturas inadequadas, fadiga muscular e dor, além do alto risco de desenvolvimento de DORT. Desta maneira, observou-se a importância da análise ergonômica do trabalho e da utilização de estratégias que aliviem os sintomas e orientem estes profissionais para a prevenção de agravos a sua saúde.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.