OS MÚSCULOS RESPIRATÓRIOS DE IDOSOS SOFREM FADIGA APÓS MUSCULAÇÃO?

Luana de Morais Bernardo, Rayane Maria Pessoa de Souza, Isadora Taynç dos Santos Santana, Jordan Camilo Gon‚Alves Bezerra, Francisca Niliany Batista Diniz, Rosa Camila Gomes Paiva, Nêcia Farias Braga Maciel, Zænia Trindade de Souto Araòjo

Resumo


INTRODUÇÃO: Os registros iniciais de fadiga dos músculos inspiratórios após eventos competitivos apareceram no início dos anos 1980, data em que reduções significativas na força dos músculos respiratórios foram mensuradas em maratonistas. Estudos subsequentes confirmaram esses achados também em competições de ultramaratona e triatlo. Então, as evidências mostram o papel dos músculos respiratórios nas limitações do exercício em atletas de alto rendimento, porém não está claro este papel durante o exercício físico em idosos. OBJETIVO: O presente estudo teve como objetivo avaliar a força muscular inspiratória de idosos imediatamente após musculação. METODOLOGIA: Este foi um estudo observacional descritivo com abordagem quantitativa. A força muscular inspiratória foi mensurada por meio do manovacuômetro analágico através da pressão inspiratória máxima (Pimáx). As análises descritiva e inferencial foram realizadas através do programa Statistical Package for the Social Sciences - SPSS 20.0, sendo atribuído um nível de significância de 5%. RESULTADO: A amostra foi composta por 6 (seis) idosos com idade média 65,17±3,31 anos, 33,3% do sexo masculino e 66,7% feminino; com média de peso= 72,17±4,4Kg e altura= 1,54±1,65m. Na análise da comparação da força muscular inspiratória antes e imediatamente após a musculação observou-se diferença estatisticamente significativa na Pimáx (92,5±27,88 vs 80,83±38,52, p=0,03). CONCLUSÃO: Os achados do presente estudo mostram diminuição da força muscular inspiratória em idosos imediatamente após a prática de musculação sugerindo que os músculos inspiratórios são sobrecarregados em maior magnitude durante o exercício físico, o que leva a uma redução na capacidade de sustentar o exercício. A partir deste estudo poderemos propor que o fortalecimento dos músculos respiratórios reduz o esforço respiratório e melhora o desempenho físico evitando a fadiga desta musculatura.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.