PADRONIZAÇÃO DO NÚMERO DE TENTATIVAS PARA AVALIAÇÃO DO CONTROLE POSTURAL EM CRIANÇAS

Jessica Caroliny de Jesus Neves, Dirce Shizuko Fujisawa

Resumo


INTRODUÇÃO: Controle postural é a capacidade de manter a relação adequada entre os segmentos do corpo e entre o corpo e o ambiente, que requer interação complexa entre os sistemas músculoesquelético e neural. Os procedimentos de coleta do controle postural na criança são baseados nos parâmetros referentes à população adulta, pois não há padronização específica. OBJETIVO: O objetivo foi estabelecer o número de tentativas na avaliação do controle postural por meio da plataforma de fora em crianças saudáveis com desenvolvimento típico. METODOLOGIA: Estudo transversal, com amostra constituída por 344 crianças, com oito anos de idade, ambos os sexos, de escolas da Rede Municipal de Londrina/PR. A coleta dos dados incluiu dados de identificação, medidas antropométricas e avaliação do controle postural por meio da plataforma de força (PF). O controle postural foi avaliado em apoio unipodal com perna de preferência da criança por 30 segundos, em três tentativas, com descanso de 1 minuto entre as tentativas. O indivíduo foi orientado permanecer em ortostatismo, descalço com os braços ao lado do corpo. A área do COP e a velocidade média de deslocamento do COP, em ambas as direções do movimento, são mais sensíveis e fidedignos para detectar diferenças no equilíbrio postural, portanto o presente estudo analisou o número de tentativas na PF quanto a esses parâmetros. RESULTADO: Foram avaliados 344 crianças, sendo 178 (51,7%) meninas e 166 (48,3%) meninos. Com relação ao controle postural as variáveis COP, Velocidade Ântero-Posterior (Veloc. AP) e Velocidade Médio-Lateral (Veloc. ML) através do teste de Friedman constatou que não há diferença entre as três tentativas realizada em crianças na faixa etária de oito anos (p=0,139; p=0,718; p=0,05 respectivamente). Ou seja, uma tentativa nesta idade se mostrou suficiente para avaliar as variáveis COP, Velocidade AP e Velocidade ML do controle postural. Excelente replicabilidade foi observado nas variáveis COP e Velocidade ML (CCI:090, P<0,0001, Erro:0,07 cm2; CCI:0,91, P=0,001, Erro:0,024 cm/s respectivamente) e média replicabilidade na variável Velocidade AP (CCI: 0,68, P=0,0001, Erro: 0,10 cm/s). CONCLUSÃO: O presente estudo identificou que uma tentativa é suficiente para avaliar o controle postural por meio das variáveis do COP, Vel. AP e Vel. ML na posição unipodal, do membro inferior de preferência do participante, mantida por 30 segundos, em crianças saudáveis e desenvolvimento típico com oito anos de idade.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.