PERFIL DE PACIENTES COM TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO EM UMA UNIDADE HOSPITALAR DE MACEIÓ-AL

Ana Larissa Costa de Oliveira, Jéssica Silva de Souza, Juliana da Conceição Silva, Rayana Angelica Araújo Santos, Rúbia Maria Silva dos Santos, Vanessa Lïbo de Carvalho

Resumo


INTRODUÇÃO: O Traumatismo Cranioencefálico (TCE) é uma agressão externa por choque mecânico que acomete o cérebro, podendo atingir também o couro cabeludo e o crânio, causando lesões que podem gerar alteração no nível de consciência, comprometimento funcional, morte e invalidez. As causas principais de TCE são os acidentes de trânsito, agressões físicas, quedas e lesões por arma de fogo. OBJETIVO: Analisar o perfil dos pacientes com o diagnóstico de TCE através de prontuários. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo observacional transversal de natureza quantitativa realizado no Hospital Geral do Estado Professor Osvaldo Brandão Vilela (HGE), através dos prontuários de pacientes com diagnóstico clínico confirmado de TCE que foram admitidos de janeiro a dezembro de 2015. A análise dos dados estatísticos foi feita através de planilha do Microsoft Excel 2010 para serem analisados e expostos com percentual em gráficos e tabelas. RESULTADO: Foram analisados 354 prontuários, onde houve predominância no sexo masculino, com média de idade de 35 anos, os acidentes de trânsito foram responsáveis por maiores casos de TCE, ao tipo de TCE analisado, identificou-se que 81.9% dos pacientes apresentaram do tipo fechado; apresentaram o déficit de dor 30,9%; a comorbidade de fraturas 38,2%; 62,7% não tiveram assistência fisioterapêutica e por fim observou-se que 77,7% tiveram alta do hospital. CONCLUSÃO: O estudo é de importância para os profissionais da área de saúde, pois a partir do conhecimento do perfil das vítimas de TCE e das principais causas será possível traçar condutas adequadas para melhorar a qualidade de vida dos mesmos e para que se possa investigar melhores ações para prevenção desta patologia permitindo maiores cuidados por profissionais qualificados.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.