ANÁLISE DA FORMAÇÃO DO ESTUDANTE DE FISIOTERAPIA DA UFRN QUANTO À PREVENÇÃO DE LER-DORT E AO AUTO CUIDADO

Tathyanna Kelly de Macedo Furtado, Ricardo José Matos de Carvalho

Resumo


INTRODUÇÃO: As disciplinas do curso de Fisioterapia são concebidas e formatadas mediante um Projeto Político Pedagógico (PPP), onde se encontra, dentre uma gama de típicos, a ementa e o conteúdo programático. Será que no PPP do curso está previsto algum conteúdo e/ou prática formativa que leve em consideração a prevenção de Lesão por Esforço Repetitivo ou Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho (LER/DORT) no aluno que está executando os procedimentos ou protocolos fisioterápicos nos pacientes?. OBJETIVO: Analisar o PPP do curso de Fisioterapia de uma Universidade brasileira, no tocante às diretrizes e práticas de prevenção de LER/DORT e de auto-cuidado do aluno em sua prática formativa. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo descritivo e qualitativo. Para tanto, foi realizada uma análise documental do PPP do Curso de Fisioterapia da UFRN, considerando-se expressões como saúde do trabalhador", "saúde ocupacional", "ergonomia", "auto-cuidado", "prevenção" e "LER-DORT", e foi aplicado um roteiro de ação conversacional com 10 alunos do nono período para averiguar se eles haviam recebido alguma orientação e/ou realizado alguma prática de prevenção de LER-DORT e/ou de auto-cuidado durante o curso. RESULTADO: Verificou-se que o PPP do curso não possuía nenhuma disciplina específica sobre saúde do trabalhador, ergonomia ou saúde ocupacional, assim como nenhum conteúdo relativo à prevenção de LER-DORT e ao auto-cuidado direcionado para a saúde ocupacional dos próprios estudantes. Oito alunos relataram que n‹o receberam nenhuma aula específica de prevenção de LER-DORT, de auto-cuidado, de ergonomia, nem temas afins, contudo as orientações de auto-cuidado que receberam dos professores foram de forma diluída em disciplinas como Aplicada de Reumatologia, Aplicada de Ortopedia e Recursos Terapêuticos Manuais. As orientações que os alunos relataram ter recebido nessas disciplinas consistiam em: corrigir altura da maca, usar melhor alavanca de força, ter cuidado na flexão e rotação da coluna e no manuseio de carga. Os alunos obtiam conhecimento de prevenção de LER/DORT apenas para o paciente e, espontaneamente, percebiam que podiam transferir esse conhecimento, adquirido em outro contexto, na gestão do seu auto-cuidado. Entretanto, a maioria dos alunos entrevistados alegaram que n‹o conseguiam colocar em prática, na sua rotina acadêmica, as mesmas orientações de prevenção de LER/DORT, que seriam aplicadas em seus pacientes, devido à carga de estudo e do cansaço após os atendimentos. Dois alunos que vieram transferidos de outras universidades, já haviam estudado a disciplina de Saúde do Trabalhador. CONCLUSÃO: Conclui-se que o curso não oferece disciplinas, nem conteúdos nem realiza práticas acadêmicas, que dão formação e propicia ao aluno situações preventivas de LER/DORT e de auto-cuidado. Faz-se necessária a inclusão de uma disciplina ou de conteúdos transversais em todas as disciplinas, que propicie aos alunos o conhecimento sobre as possíveis causas do surgimento e agravamento de LER/DORT, já durante sua formação acadêmica e quando se tornar fisioterapeuta, a importância de prevenção e as possíveis medidas de prevenção. Afinal, a principal ferramenta de trabalho do estudante de fisioterapia e do futuro fisioterapeuta é o seu próprio corpo.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.