AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE ATITUDES E CRENÇAS EM DOR LOMBAR CRÔNICA EM ESTUDANTES DE FISIOTERAPIA

Pâmela Pinheiro Sumar, Aline Louise Santos, Marianna de Souza Santa Roza, Vitor D'almada Borduam, André Luiz Trindade dos Santos, Luciano Teixeira dos Santos

Resumo


INTRODUÇÃO: A dor lombar é o principal distúrbio musculoesquelético no mundo. A forma crônica promove as maiores incapacidades e as abordagens biopsicossociais para gerenciamento dos pacientes são consideradas como melhores práticas e estão ganhando maior aceitação, sabe-se ainda que atitudes e crenças dos praticantes também podem ter um efeito importante na recuperação. No entanto essas aspectos são pouco explorados na formação acadêmica, e futuros profissionais podem menosprezar o gerenciamento desses aspectos. OBJETIVO: O objetivo do presente estudo foi avaliar o nível de atitudes e crenas em dor lombar crônica em estudantes de fisioterapia. METODOLOGIA: Foi realizado um estudo transversal analítico conduzido de acordo com as recomendações de STrengthening the Reporting of OBservational studies in Epidemiology5 (STROBE). Foi realizada uma amostra por conveniência composta por alunos do curso de fisioterapia da Universidade Veiga de Almeida - Campus Cabo Frio. O critério de inclusão foi estar regularmente matriculados no curso de fisioterapia e o critério de exclusão foi possuir alguma doença/lesão que dificultasse ou impedisse a realização da coleta. Para identificação no nível de atitudes e crenças foi utilizada a versão brasileira e abreviada da Pain Attitude and Belief Scale6. A escala avalia a presença de 2 variáveis (biomédica e psicossocial). A escala biomédica consiste em 10 itens que são pontuados em uma escala de Likert de 6 pontos (1 = "totalmente discordo" para 6 "totalmente de acordo"). Uma pontuação alta indica elevada crença na relação entre dor lombar e dano tecidual. A escala biopsicossocial consiste em 9 itens. Uma pontuação baixa indica elevada crença na influência desses fatores. Foram considerados alunos de períodos iniciais (PI) entre o 1¡ e 3¡ período, intermediários (PM) entre o 4º e 6º período e finais (PF) entre 7º e 10º período. O presente estudo foi conduzido de acordo com as diretrizes da Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde e estar em conformidade com a Declaração de Helsinque. Os resultados foram apresentados em porcentagem de valores, bem como média e desvio padrão. Para verificação da distribuição dos dados foi utilizado o teste de Shapiro-Willk, o Test t Student foi aplicado para distribuição normal e Mann-Whithney para distribuição não normal. O nível de significância foi P<0,05. RESULTADO: Participaram do estudo 149 estudantes de ambos sexos, PI 56, PM 47 e PF 46. O nível de atitudes e crenças na escala biomédica foi: PI 31,2 ±4,8; PM 26,8 ±5,9 e PF 30,4 ±6,3 (PI vs PM P= 0,000; PI vs PF P= 0,506; PM vs PF P= 0,003). Na escala biopsicossocial foi: PI 19,7 ±6,1; PM 23,4 ±4,39 e PF 20,6 ±4,9 (PI vs PM P= 0,000; PI vs PF P= 0,239; PM vs PF P= 0,004). CONCLUSÃO: Os alunos de fisioterapia apresentam alto nível de atitudes e crenças em dor lombar crônica. Entretanto os períodos intermediários apresentaram melhores resultados em ambos aspectos e surpreendentemente os períodos finais não apresentaram melhor performance que os períodos iniciais.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.