AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE LETRAMENTO FUNCIONAL EM ESTUDANTES DE FISIOTERAPIA - UM ESTUDO OBSERVACIONAL ANALÍTICO

Luciano Teixeira dos Santos, Priscila Eskelsenn, José Luis de Magalhães Martins Junior, Patricia Xavier Hommerding Frasson, Carlos Eduardo das Neves, Juliana Bittencourt Marques

Resumo


INTRODUÇÃO: Letramento funcional em saúde (LFS) é definido como o nível de capacidade individual e coletivo em obter, processar, compreender e utilizar as informações de serviço básico em saúde. Sabe-se que o grau de escolaridade interfere diretamente no nível de LFS, portanto, a qualidade de saúde de uma pessoa com nível de LTS não satisfatório é menor. No Brasil apenas 62% dos alunos do ensino superior, tem LFS satisfatório e atualmente existe uma lacuna na literatura sobre os índices dos estudantes de fisioterapia. OBJETIVO: O objetivo do presente estudo foi avaliar o nível de letramento funcional em estudantes de fisioterapia. METODOLOGIA: Foi realizado um estudo observacional analítico conduzido de acordo com as recomendações de STrengthening the Reporting of OBservational studies in Epidemiology (STROBE). Foi realizada uma amostra por conveniência composta por alunos do curso de fisioterapia da Universidade Veiga de Almeida - Campus Cabo Frio. O critério de inclusão foi estar regularmente matriculados no curso de fisioterapia e os critérios de exclusão foram: estar matriculado numa Instituição de Ensino pública e possuir alguma doença/lesão que dificultasse ou impedisse a realização da coleta. Para identificação do LFS foi utilizada a versão adaptada da Short Assessment of Health Literacy Spanish and English (SAHL-S&E). A avaliação contém dezoito questões, com três opções de resposta, uma opção correta, uma opção errada e uma opção não sei. Cada acerto equivale um ponto. Pontuação a partir de 15 pontos indica LFS satisfatório. A avaliação foi disponibilizada via plataforma digital (google forms) entre 03 de setembro de 2016 até 28 de abril de 2017. Foram considerados alunos períodos iniciais (PI) entre o 1º e 3º período, intermediários (PM) entre o 4º e 6º período e finais (PF) entre 7º e 10º período. O presente estudo foi conduzido de acordo com as diretrizes da Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde e estar em conformidade com a Declaração de Helsinque. Os dados foram armazenados em arquivo eletrônico utilizando Microsoft Excel, e serão processados no Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) (versão 17). Os resultados foram apresentados em proporções para as variáveis categóricas e média e desvio padrão para variáveis contínuas. Foi utilizado o teste de Shapiro-Wilk para distribuição e Test U Mann-Whitney para comparação entre as médias. Foi considerado o nível de significaria de P. < 0,05. RESULTADO: Participaram do estudo 197 estudantes de ambos sexos, PI 21,8%, PM 59,4% e PF 18,8%. com 23,5 ±5,88 idade. O nível de nível de letramento funcional foi: PI 16,6 ±1,20; PM 16,7 ±1,1 e PF 17,1 ±0,9 (P 0,220). CONCLUSÃO: Os alunos de fisioterapia apresentam nível letramento funcional satisfatório. Entretanto não foi evidenciado diferença entre os grupos demonstrando pouco evolução sobre letramento funcional durante a graduação.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.