CONHECIMENTO TEÓRICO DE CONCLUINTES DOS CURSOS DE FISIOTERAPIA NA PARAÍBA EM IES PÚBLICAS E PRIVADAS ACERCA DA ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE

Eleazar Marinho de Freitas Lucena, Kátia Suely Queiroz Silva Ribeiro, Joìo Agnaldo do Nascimento, Renata Newman Leite dos Santos Lucena, Ângela Maria Barros, Simone Farias de Sousa

Resumo


INTRODUÇÃO: A deficiência dos currículos dos cursos de graduação em fisioterapia se configura como uma das principais dificuldades que compromete a intervenção do fisioterapeuta na saúde da população. Nesta perspectiva, é escassa a quantidade de currículos que abrange disciplinas voltadas para além da saúde coletiva, em diferentes Instituições de Ensino Superior (IES). OBJETIVO: Desta forma, o objetivo deste estudo consiste em investigar o desempenho teórico dos concluintes dos cursos de graduação em fisioterapia no contexto da atenção básica (AB), em (IES) públicas e privadas da Paraíba. METODOLOGIA: O estudo foi do tipo exploratório, descritivo e inferencial com abordagem quantitativa, realizada nos Municípios de João Pessoa, Campina Grande e Cajazeiras. Os participantes do estudo foram discentes dos cursos de graduação em Fisioterapia das IES no estado da Paraíba, que estavam matriculados no último ano do curso. Foi aplicado um questionário com 14 itens acerca dos pressupostos teóricos da AB, elaborado pelos pesquisadores a partir do conteúdo da Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) e do Caderno de Atenção Básica Nº 39 do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF). Para análise dos dados, realizou-se estatística descritiva, a partir de frequências absolutas e relativas. Para investigar a associação entre o desempenho dos discentes nos itens do questionário e o perfil da IES, se pública ou privada, foi realizada a análise inferencial por meio do teste qui-quadrado, sendo adotado um nível de significância de 5%. RESULTADO: O estudo totalizou 441 discentes das IES públicas e privadas da Paraíba. Constatou-se que os itens que apresentaram maior percentual de erros pelos discentes matriculados em IES públicas foram: '05 Especificidades da ESF' (96,9%); '03 Características da AB' (80,4%); '09 Diretrizes do NASF' (42,3%); '14 Apoio Matricial' (42,3%); '11 Atividades do NASF' (35,1%); e '07 Atribuições Comuns dos profissionais da AB (32%). Enquanto que os itens '03 Características da AB' (94,2%); '05 Especificidades da ESF' (91,6%); '14 Apoio Matricial' (76,5%); '11 Atividades do NASF' (67,7%); '10 Objetivos do NASF' (61,9%); '09 Diretrizes do NASF' (61,6%); '13 Agenda do NASF' (58,1%); '04 Papel da AB na RAS' (55,2%); '07 Atribuições Comuns dos profissionais da AB (51,7%); '02 Fundamentos e Diretrizes da AB' (48,5%); '08 Conceito do NASF (48,5%); e '12 Ações prioritárias do NASF' (46,8%) foram os que apresentaram maior percentual de erros pelos discentes matriculados em IES privadas. Associando os acertos quanto ao perfil das IES, em 13 itens este quantitativo foi maior nas IES públicas (p-valor. < 0,05). Apenas no item '05 Especificidades da AB' o percentual de acertos dos discentes matriculados nas IES privadas foi superior em relação às IES públicas, 8,4% e 3,1%, respectivamente. Entretanto, constatou-se que n‹o houve significância estatística neste item (p-valor: 0,074). CONCLUSÃO: Os achados deste estudo evidenciam a fragilidade nos currículos de graduação em fisioterapia quanto aos pressupostos teóricos da AB, sobretudo nas IES privadas. Neste sentido, destaca-se a necessidade de potencializar a formação do fisioterapeuta no contexto da AB, com ênfase na atuação no NASF.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.