METODOLOGIA ATIVA NO ENSINO DA FISIOTERAPIA

Leilane Marcos, Luiza Martins Faria

Resumo


INTRODUÇÃO: As metodologias ativas são um meio para o desenvolvimento do processo do aprender que pode colaborar com a formação crítica do fisioterapeuta, favorecer a autonomia, despertar a curiosidade, estimulando tomadas de decisões individuais e coletivas. OBJETIVO: Avaliar a percepção dos estudantes de fisioterapia frente a uma prática ativa baseada no jogo lúdico "cara-a-cara" para estudo das técnicas e manobras de Fisioterapia Respiratória. METODOLOGIA: Técnicas/manobras e 48 cartas de adivinhação. Para cada 2 tabuleiros forma-se 2 equipes que competirão entre si. Cada equipe pega uma carta de adivinhação (que contém o nome da técnica/manobra) sem que o outro grupo veja, esta será a técnica/manobra que o adversário irá adivinhar. Cada grupo deverá fazer perguntas ao outro para tentar adivinhar qual é a técnica/manobra do adversário. De acordo com a resposta do adversário a esquipe irá descartando a técnica/manobra disposta no tabuleiro. A dinâmica pode contar com material de apoio com o resumo das técnicas ou pode-se aumentar o grau de dificuldade sem utilizar deste recurso. Ganha quem ao final de 4 perguntas conseguir adivinhar a técnica/manobra do adversário. Lições aprendidas: Nesta atividade, os alunos desenvolvem capacidade de interpretação e síntese, aprimoramento da criticidade e criatividade, exercício do raciocínio lógico e do pensamento reflexivo, aprimoramento da oralidade e articulação da teoria com a prática . RESULTADO: Para avaliar a dinâmica proposta, ao final foi aplicado um questionário de percepção com os estudantes. Os seguintes resultados foram encontrados: para 50% estudantes perceberam a atividade com grau “médio” de dificuldade; 72,73% julgaram as informações para a realização da atividade “suficientes”; a atividade refletiu o conteúdo estudado em sala de aula para 81,9%; para 45,5% a atividade auxiliou na compreensão de todos os conteúdos estudados em sala de aula. Quando questionados sobre a dificuldade, 36,4% apontaram “forma diferente de abordagem do conteúdo” e outros 36,4% “não tive qualquer tipo de dificuldade” e quanto a percepção da atividade relacionada ao aprendizado 45,46% dos alunos apontaram que “estudou e aprendeu muitos desses conteúdos” e 31,9% “estudou alguns desses conteúdos, mas não os aprendeu”. CONCLUSÃO: Esta atividade proporciona aos alunos uma reflexão sobre o conteúdo de forma crítica, estimula o raciocínio lógico e o trabalho em grupo, sendo uma das ferramentas para o desenvolvimento do processo de aprendizagem.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.