O IMPACTO DA PARTICIPAÇÃO EM PROGRAMAS PET-SAÚDE NA FORMAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO NORTE DO BRASIL

Raimunda Silvia Gatti Norte, Renato da Costa Teixeira

Resumo


INTRODUÇÃO: A partir de reflexões acerca do processo de reorientação da formação profissional em saúde, especialmente no campo da fisioterapia e considerando que a Universidade do Estado do Pará (UEPA) vem acompanhando essas mudanças por meio de programas como Pró-Saúde, PET-Saúde, essa pesquisa teve como questão problematizadora: Qual o impacto da participação em programas PET-Saúde na formação do fisioterapeuta, egresso da UEPA na perspectiva do Sistema Único de Saúde (SUS)?. OBJETIVO: Analisar o impacto da participação em programas PET-Saúde na formação do fisioterapeuta, egresso da UEPA na perspectiva do SUS, conhecer o perfil do profissional fisioterapeuta egresso da UEPA, que tenha participado dos programas Programa PET-Saúde/UEPA e verificar de que forma a integração ensino-serviço-comunidade influenciam na formação deste profissional. METODOLOGIA: a abordagem metodológica foi a qualitativa descritiva, utilizando como técnica de coleta de dados a entrevista semiestruturada e como técnica de análise dos dados a análise de conteúdo, fundamentada nas obras de Minayo. Os participantes da pesquisa foram 10 fisioterapeutas que participaram dos programas PET-Saúde/UEPA (2009 e 2010/2011). A coleta de dados teve início após as aprovações necessárias e ocorreu no período de novembro de 2014 à fevereiro de 2015 no ambiente de trabalho dos participantes da pesquisa. RESULTADO: Em relação ao perfil dos entrevistados, houve uma forte tendência para inserção dos mesmos em programas de residências multiprofissionais, demonstrando que o conhecimento adquirido pode ter influenciado para o êxito no processo seletivo desses programas. Outro ponto positivo foi o envolvimento com forte vinculo ao programa PET-Saúde, o que permitiu que os mesmos pudessem vivenciar plenamente a prática da atenção à saúde nos municípios de Belém e Ananindeua e influenciou positivamente nas práticas profissionais desenvolvidas por todos os participantes, proporcionando, ainda, o desenvolvimento de uma visão crítica dos processos de trabalho nos vários pontos da Rede de Atenção à Saúde (RAS). Também constatamos algumas fragilidades no que se refere ao que é preconizado pelas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN's) vigentes para o curso de fisioterapia, demonstrando a necessidade de se repensar o Projeto Político Pedagógico (PPP) de modo a atender essas diretrizes e preparar o egresso para o mercado de trabalho na perspectiva do SUS. CONCLUSÃO: a participação no programa PET-Saúde se deu como uma atividade complementar, porém, não articulada com a graduação, tendo como consequência a dificuldade em desenvolver uma definição clara sobre a atuação do fisioterapeuta na Atenção Primária à Saúde (APS). Como contribuição para vencer as fragilidades, surgiu como proposta a produção de um blog que permita o diálogo aberto acerca de questões relacionadas a atuação do fisioterapeuta na RAS e a criação de um curso livre a distância com possibilidade de fortalecimento do processo de trabalho no âmbito do SUS e da formação em fisioterapia.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.