A DIMENSÃO DO CUIDADO AMBULATORIAL DE BEBÊS PREMATUROS: O DESAFIO DO PRIMEIRO CONTATO

Amanda Medeiros Gomes, Alini Nunes de Oliveira, Bianca Espinosa dos Santos, Daniele de Almeida Soares Marangoni, Mirelli de Sena Xavier, Victoria Regina Ferro

Resumo


INTRODUÇÃO: A mortalidade neonatal tem sido responsável por cerca de 70% das mortes no primeiro ano de vida. Segundo o Ministério da Saúde, o cuidado adequado ao recém-nascido tem sido desafiador para diminuir os índices de mortalidade. A prematuridade é um período de grande vulnerabilidade, pois pode acarretar disfunções em vários órgãos ou sistemas corporais, onde o bebê prematuro pode desenvolver morbidades ao longo da sua vida. Em Campo Grande-MS, há grande necessidade de serviços de saúde especializados para auxiliar no desenvolvimento do bebê, preferencialmente de forma humanizada, evitando condutas intempestivas e possibilitando uma atenção qualificada. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: O projeto de extensão Atenção e Intervenção Precoce em Bebês de Risco, do Curso de Fisioterapia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), permite que acadêmicos matriculados na disciplina de Saúde da Criança prestem assistência respiratória e sensório-motora a bebês prematuros encaminhados do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian. Os atendimentos ocorrem uma vez por semana, supervisionados por docentes. Os acadêmicos realizam avaliações com a Escala Motora Infantil de Alberta (AIMS), atendem os bebês e prestam capacitação aos pais, possibilitando que os pacientes também sejam estimulados em casa. IMPACTOS: O primeiro contato prático com bebês prematuros gera um disparo na vivência acadêmica, pois cercado de receios, o aluno se depara com a trajetória clínica desses pacientes, suas fragilidades e superações desde o nascimento, bem como a necessidade de serem assistidos pós-alta hospitalar por serviços de saúde especializados. Além disso, o aluno exercita o conteúdo visto em sala de aula, tornando sua aprendizagem mais significativa. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Intervenção fisioterapêutica respiratória e sensório-motora precoce permite minimizar os acometimentos na qualidade de vida desses bebês. Benefícios foram comprovados juntos a pacientes e cuidadores/familiares. Fortalecimento da ação está na união deste projeto junto á melhoria da formação acadêmica pelo contato e conhecimento das práticas educativas modernas e diferenciadas de forma primordial, bem como o serviço gratuito á comunidade local.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.