A EFICÁCIA DA INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM PACIENTES COM SÍNDROME PÓS-PÓLIO: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Adrine Louise Lima, Anderson Kevin de Araújo Serafim, Géssyca Kalyne de Souza Gabriel, Hellen Camilo de Melo, Isolda Maria Barros Torquato, Karen Lúcia de Araújo Freitas Moreira, Maria Eduarda Camilo Damião

Resumo


INTRODUÇÃO: A Síndrome Pós-Pólio (SPP) trata-se de uma desordem neurológica de caráter progressivo e degenerativo, porém lento, e sua etiologia ainda é hipotética. Resulta do desgaste proveniente do excesso de uso, também chamado overuse, dos neurônios motores inferiores localizados próximos aos que já foram degradados na fase aguda da Poliomielite. Dos sintomas os principais são: fraqueza muscular associada á fadiga, a atrofia e a dor. As disfunções causadas pela SPP dificultam a realização das atividades ocupacionais diárias gerando assim uma carga excessiva de estresse e fadiga muscular, no geral, esses pacientes são muito ativos e raramente descansam, refletindo diretamente nas atividades laborais e resultando em alterações psicológicas como isolamento e baixa autoestima. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: O trabalho tem como objetivo verificar os benefícios produzidos por um protocolo de tratamento fisioterapêutico, realizado com o intuito de minimizar o quadro álgico e de estresse desses indivíduos, como também maximizar a capacidade funcional (CF) e qualidade de vida (QV). Os encontros são realizados uma vez por semana na Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (FUNAD) em João Pessoa - PB, com duração de sessenta minutos cada sessão. A priori foi realizada avaliação fisioterapêutica e aplicação de instrumentos de avaliação da dor, estresse, CF e QV. Os atendimentos são realizados em grupo, composto por dez indivíduos cadeirantes e não cadeirantes, com idades entre vinte e sessenta e cinco anos, de ambos os sexos que consiste em alongamento, fortalecimento e relaxamento muscular. Além dos atendimentos semanais foram realizadas orientações para o autocuidado com exercícios de alongamento e relaxamento a serem realizados todos os dias. IMPACTOS: Apesar de ocorrerem apenas uma vez por semana, os atendimentos se mostraram eficazes apresentando resultados positivos que podem ser observados tanto na nossa percepção como nos relatos dos próprios indivíduos: no início do ano eu estava muito mal, pensei até que iria ficar sem andar, sentia muita dor e achava que não ia conseguir voltar para o trabalho, depois dos atendimentos melhorei muito e até minha autoestima aumentou, "vocês não tem ideia de como esses exercícios nos ajudam na melhora da dor", "saímos daqui outras pessoas, renovadas", "hoje toco a cadeira com mais facilidade e quase sem dor", "noto que a tensão do pescoço e braços diminuiu", "estou dormindo melhor e passo o dia me sentindo bem". . CONSIDERAÇÕES FINAIS: A formação do grupo nos proporcionou a oportunidade de aprender sobre uma patologia a qual não tínhamos conhecimento, o que permitiu nos inteirar sobre as dificuldades biopsicossociais trazidas pela SPP, possibilitando refletir sobre esses impactos e a importância das intervenções na vida dos pacientes. A melhora na dor ao término de cada sessão é relatada por todo o grupo, o que repercute em todos os seus aspectos de vida, melhorando a CF, QV e consequentemente a redução do estresse.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.