CONSTRUINDO O PROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR (PTS) NA ATENÇÃO BÁSICA: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Natália Paes Santana, Mohana de Araújo Lima Patriota, Juliana Gomes Montanha de Freitas, Clenya Ionara Guedes Belarmino, Camila Nepomuceno Norat, Eleazar Marinho de Freitas Lucena, Renata Newman Leite dos Santos Lucena

Resumo


INTRODUÇÃO: O Projeto Terapêutico Singular (PTS) constitui-se em um conjunto de propostas de condutas terapêuticas articuladas, para um sujeito individual ou coletivo, resultando na discussão de uma equipe interdisciplinar, que pode ser apoiada pela equipe do Núcleo de Apoio á Saúde da Família (NASF), considerando as singularidades do sujeito e a complexidade de cada caso. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Diante desta proposta, realizou-se uma reunião com os profissionais da atenção básica de uma Unidade Saúde da Família (USF), localizada no Município de Cabedelo-PB, e discentes do 7º período do curso de fisioterapia do Unip, tendo como finalidade a construção do PTS para uma determinada família do território. A discussão abrangeu o contexto familiar de um usuário de quatro anos de idade, acometido por paralisia cerebral, que perdeu o pai há três anos e a mãe recentemente. Após a morte da mãe, passou a morar com uma irmã, a qual tem uma filha de seis anos e mora junto com o companheiro. A sua filha não frequenta a escola e o seu companheiro faz o uso de álcool em excesso. Após a morte da mãe, a criança permanece sem a guarda definida. Durante a análise da situação, os profissionais montaram três fases para a construção do PTS: 1» FASE - identificar os problemas; 2» FASE - direcionar os encaminhamentos dos problemas; 3» FASE - estabelecer os responsáveis por esses encaminhamentos. Seguindo a construção do PTS, após a reunião realizada, cada profissional responsável por determinada área de encaminhamento foi em busca de sua função. Um mês após a primeira reunião, realizou-se uma reavaliação para observar o andamento do caso e elencar novos problemas. Neste período, as crianças estiveram residindo com a avó materna, em condições precárias de moradia. IMPACTOS: O PTS subsidiou possíveis encaminhamentos para dar resolutividade aos problemas identificados, apesar das dificuldades da implementação desse projeto na unidade, destacando-se, sobretudo, a falta de comunicação entre os profissionais da USF. Portanto, a discussão do caso além de beneficiar a família em questão, repercutiu na relação interprofissional na USF de modo positivo, estabelecendo diálogos e incentivando a realização de reuniões de equipe. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Visto a necessidade da realização do PTS, ressalta-se a importância desse projeto na atenção básica, onde se constatou o envolvimento e a interação dos profissionais em torno de uma situação complexa presente no território de atuação, enaltecendo a importância do diálogo e o compartilhamento de saberes no ambiente de trabalho.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.