ESTIMULAÇÃO COGNITIVA EM USUÁRIOS DA ACADEMIA DA CIDADE DE ARACAJU: RELATO DE EXPERIÊNCIA

João Ricardo Bispo de Jesus, Karine Santos Chaves, Pedro Vinicius Santos de Oliveira, Heloísa Suzane de Sá Matos, Mauricio Poderoso Lima Neto, Manuela Andrade de Albuquerque

Resumo


INTRODUÇÃO: O último censo brasileiro mostrou que a população com mais de 60 anos cresceu nos últimos anos. O envelhecimento é um processo natural biológico que ocorre em todos os seres vivos e que pode levar a uma série de alterações físicas e psíquicas (Fonseca et al., 2016). Com o avanço da idade, as funções cognitivas declinam e o risco de desenvolver demência torna-se um problema de saúde pública (Apóstolo et al., 2011; Casemiro et al., 2016). Visando ações que contribuam para o envelhecimento saudável da população e o combate contra agravos de doenças, o Programa da Academia da Cidade de Aracaju/SE oferece aos seus usuários, dentre diversas atividades corporais, um momento para Estimulação Cognitiva (EC) por meio de exercícios de memorização, atenção e capacidade construtiva. A EC em idosos pode atrasar a instalação de um quadro de demência e consequentemente melhorar a autonomia e independência desses indivíduos. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: A EC dos usuários da Academia da Cidade de Aracaju foi realizada nos Polos dos Conjuntos Sol Nascente e Castelo Branco, uma vez por semana. Os exercícios eram realizados em grupo e contavam com duas práticas. Na primeira, os usuários respondiam perguntas, tais como "Por qual percurso o (a) senhor (a) veio hoje?", "Qual o número da casa do seu vizinho da frente?", "Qual a data de ontem?" e "Cite um objeto retangular presente em sua casa". Na segunda prática, um cartão com a figura de um animal era fixado nas costas de cada usuário, sem o mesmo saber qual o animal que continha. Com a ajuda dos outros colegas, o usuário deveria reconhecer através de mímicas, gestos e dicas, qual o animal que estava fixado no mesmo. . IMPACTOS: Através da análise das atividades, percebeu-se que a EC foi bem aceita pelos usuários, principalmente pela interação do grupo e entretenimento com as dinâmicas; porém, a falta de recursos impediu a viabilização de atividades mais estruturadas, bem como o encontro que era realizado apenas uma vez por semana. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A prática da EC, segundo a literatura, além de promover grande interação entre os usuários, proporciona pequenas melhorias ou estabilização da Capacidade Cognitiva, possibilitando um maior nível de independência aos idosos.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.