FISIOTERAPIA NA PERSPECTIVA DO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Camila Santos Souza, Carla Nunes Ferreira, Débora Ramos de Araújo Souza, Géssica Sena de Sousa, Michely de Oliveira Santos, Natali Lima Aragão, Andréa Costa de Oliveira

Resumo


INTRODUÇÃO: A subunidade curricular Práticas de Inserção da Fisioterapia na Comunidade (PIFISIO) tem como principal metodologia o arco de Maguerez, que consiste em cinco etapas que vão desde a observação da realidade á aplicação prática. Durante o ciclo, os discentes são vinculados a uma Unidade Básica de Saúde e desenvolvem junto á comunidade intervenções coerentes com a necessidade observada e em consonância com os temas debatidos em sala. Uma das temáticas estudadas foi o Programa de Saúde na Escola (PSE) que tem uma perspectiva de atenção integral á saúde de crianças, adolescentes e jovens do ensino básico público, realizadas pelas Equipes de Saúde da Família. Assim o presente relato descreve uma experiência vivenciada em uma escola pública. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Para o conhecimento da realidade da escola, o Instrumento de Avaliação Postural e Dor nas Costas (BackPEI), foi aplicado com 47 estudantes do 6º ano de uma escola municipal do município de Lagarto-Sergipe. Ao observar as respostas do questionário, notou-se que as posturas consideradas inadequadas mais prevalentes eram pegar objetos/pesos no chão e sentar-se para estudar, além do uso da mochila de duas alças e relatos de dores nas costas. Com base nisso, a intervenção teve como objetivos abordar sobre a prática de posturas corretas e o uso da mochila de duas alças, relacionando-as ao aparecimento de alterações posturais e dores nas costas. A priori foi realizada uma dinâmica de correção de posturas, em que os alunos demonstravam como costumavam sentar, pegar objetos no chão e carregar a mochila, e em seguida eram orientados e corrigidos quanto á postura correta. Para a abordagem sobre dor nas costas, uma imagem da coluna vertebral foi mostrada e posteriormente discutido o quanto as posturas inadequadas alteram as curvaturas normais e provocam alterações estruturais e outras doenças com o decorrer do tempo. Finalizada essa parte educativa, buscando amenizar as tensões dessas posturas foi iniciada uma sessão de alongamentos para coluna cervical e lombar, membros superiores e tronco, atentando-se a manutenção da respiração e coordenação dos movimentos, bem como a importância de realizar os exercícios em casa e ensinar aos pais e/ou responsáveis. IMPACTOS: Ao conversar com os escolares e aplicar o questionário percebeu-se que a maioria deles adotam posturas e/ou pegam objetos e pesos de forma inadequada. Instruí-los quanto á maneira adequada contribui para a prevenção de problemas futuros e ainda tem um fator positivo na disseminação de informações, visto que muitos deles transmitirão para os seus pais e/ou responsáveis os conhecimentos adquiridos. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Através das discussões e desenvolvimento da ação foi possível perceber as possibilidades de atuação e importância do fisioterapeuta no PSE, pois o mesmo possui conhecimentos sobre o desenvolvimento neuropsicomotor das crianças e adolescentes, domínio das alterações posturais que podem ocorrer, bem como preveni-las através de orientações simples. Essa compreensão foi útil para a ação realizada e é indispensável para a prática profissional.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.