NASF, RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL E SAÚDE DO IDOSO: SOBRADINHO, DF

Edna Lívia Nogueira de Sousa, Larissa Borges Lima, Gerciany Nayara Costa Cavalcante, Isabelle de Oliveira Monteiro, Maria Clara Henrique de Lima, Carmem Lúcia Jacinto, Andressa da Silva Palmeira

Resumo


INTRODUÇÃO: No Brasil, dados mostram que a queda no idoso constitui a sexta causa de morte entre as pessoas idosas acima de 65 anos. Os custos associados á queda são altos, especialmente, em relação aos gastos com a fratura do quadril. Isso porque, quando os idosos são hospitalizados permanecem internados o dobro de tempo quando comparados aos que são admitidos por outra razão, além de necessitarem de um longo período de reabilitação. As quedas em idosos (60 anos ou mais) são fenômenos multifatoriais, sendo o equilíbrio fator crítico para tal. Levando em consideração toda esta problemática, os fisioterapeutas dos Núcleos de Apoio á Saúde da Família (NASF) da cidade-satélite de Sobradinho, Brasília-DF, juntamente com os residentes do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família e do Programa Multi em Saúde do Idoso implantaram o grupo de tratamento e prevenção Circuito Multissensorial para Idosos. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Os objetivos deste grupo foram: promover socialização, melhorar o equilíbrio e força muscular de MMII por meio dos exercícios ativos e ativos resistidos e prevenir sarcopenia, quedas e fraturas em idosos, reduzindo assim as demandas nos níveis de maior complexidade. O circuito de exercícios foram distribuídos da seguinte forma: aquecimento inicial, participação das 7 estações e para finalizar, exercícios de estimulação vestibular ou dança. As estações comtemplam: 1. Exercícios resistidos com tornozeleira para os MMII; 2. Exercícios no colchonete; 3. step; 4. Cama elástica; 5. marcha cruzada; 6.Marcha tandem;7. Apoio unipodal e balance disco. O grupo foi composto por 19 idosos que foram avaliados previamente com o teste de apoio unipodal, TUG (timed up and go), FPP(força de apreensão palmar), circunferência da panturrilha e teste levanta e senta da cadeira. Para a realização do grupo foram necessário o envolvimento de 4 profissionais da saúde (2 residentes de fisioterapia, 1 fisioterapeuta, 1 enfermeira e 1 agente comunitário da saúde). O horário do grupo foi de 7:30 as 8:40 com duração de 70 minutos, frequência de duas vezes por semana durante 2 meses. O grupo iniciou em 4 de maio de 2017 e finalizará em 4 de julho de 2017. Após o término da atividade, os idosos serão reavaliados. IMPACTOS: Esta abordagem teve impacto imediato na redução de agendamentos para atendimentos individuais tanto para profissionais da ESF quanto para o NASF. Espera-se, a médio e longo prazo, que este tipo de abordagem pelo fisioterapeuta do NASF reduza o número de quedas e de fraturas em idosos, assim como internações e cirurgias provenientes destes eventos, uma vez que é estimado uma queda/ano em cerca de 28-3% de idosos com 65 anos. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Inciativas como esta reforçam o impacto de equipes de NASF nos territórios junto ás equipes ESF, assim como, a relevância do profissional fisioterapeuta na atenção primária á saúde. No entanto, o Distrito Federal hoje conta com apenas 34% de cobertura de ESF e somente 08 equipes NASF cadastradas. Logo, urge que mais equipes de NASF sejam implantadas.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.