O ESTADO DA ARTE NA REABILITAÇÃO EM CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL

Kaísa Thomaz Cavalcante e Silva, Magdalena Muryelle Silva Brilhante, Silvana Alves Pereira, Egmar Longo, Klayton Galante Sousa

Resumo


INTRODUÇÃO: A reabilitação em crianças com Paralisia Cerebral está em processo de ressignificação, da ótica de normalização dos padrões de movimentos para a exploração da atividade e da participação centrada na família. Uma nova abordagem através de elementos do ambiente e do contexto, por meio de ferramentas de diagnóstico familiar e a Classificação Internacional de Funcionalidade (CIF), uma perspectiva ampla da condição de saúde e da tomada de decisões. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Foi realizado uma visita domiciliar a uma criança com Paralisia Cerebral para análise do cenário em que ela está inserida. A partir de observação e entrevista com a família foram extraídas informações sobre a dinâmica familiar e o meio - trabalho, serviços de saúde, lazer, escola, transporte, dentre outros e o nível de funcionalidade da criança. Com esses dados foram elaborados um genograma, ecomapa e uma avaliação nos domínios da CIF, além de uma intervenção baseada nas F-Words, que se caracteriza pela maneira individualizada e peculiar do ato de cuidar, estabelecendo uma proposta de acordo com as seguintes palavras: função, família, saúde, amigos, diversão e futuro. O produto final dessa experiência é um instrumento de transferência do conhecimento em saúde - Minhas Palavras Favoritas, entregue em domicílio. IMPACTOS: Essa ação resultou no reconhecimento dos vínculos e das atitudes da família e da criança frente ás barreiras e facilitadores. Uma temática inovadora e promissora incomum no rol da prática fisioterapêutica tradicional, um reescrever das potencialidades, cuja proposta terapêutica culmina com a integração na comunidade. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Com essa experiência foi diagnosticado aspectos comumente negligenciados em consultório. Reconhecer o ambiente e o contexto em que a criança está inserida reflete um cuidado integral e um repensar sobre os saberes em Fisioterapia.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.