OFICINA DE ESTIMULAÇÃO PSICOMOTORA E SENSORIAL NA SÍNDROME DE DOWN

Miriam Lúcia da Nóbrega Carneiro, Taynah Pryscilla de Lima Ventura, Janne Karolyne Barboza Borburema Cavalcante, Marina Oliveira dos Santos Lima

Resumo


INTRODUÇÃO: A Síndrome de Down (SD) ou Trissomia do 21 é a alteração cromossômica mais frequente nos seres humanos, apresentando diversas alterações fenotípicas, comportamentais, de desenvolvimento, alterações de órgãos e sistemas. Crianças com esta síndrome apresentam alterações nos sistemas neuromotor, cognitivo e sensorial, que resultam em prejuízos ao desempenho em atividades funcionais. Ao comparar o desenvolvimento motor de crianças com Síndrome de Down com o de crianças típicas, observa-se um atraso na aquisição de habilidades motoras nessas crianças. Atrasos no desenvolvimento motor tem sido foco de estudo na área da saúde, já que por meio de um diagnóstico precoce pode-se realizar uma intervenção ainda no primeiro ano de vida, tendo a plasticidade neural como fator de otimização de aquisições motoras. Na prática fisioterapêutica podemos utilizar diversas técnicas para estimulação destas crianças, a exemplo do Conceito Bobath utilizado na estimulação psicomotora e a massagem Shantala utilizado na estimulação sensorial. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Foi realizada uma oficina de estimulação psicomotora e sensorial para 10 pais e mães de crianças com Síndrome de Down que frequentavam o Instituto Primeiro Olhar no município de João Pessoa - PB. Foram realizados 10 encontros que aconteceram no período de Abril a Junho de 2017 na Clínica Nova Diagnóstica por Imagem. Os encontros eram semanais e aconteciam aos sábados das 14 ás 16 horas. Em cada encontro era inicialmente discutido com os pais a estimulação do desenvolvimento neuropsicomotor normal por trimestres e, em seguida, realizada a prática desta estimulação pelos pais com os seus filhos sob a supervisão da fisioterapeuta. No momento da prática era realizado o Conceito Bobath e utilizado recursos e instrumentos simples como bolas, banquinhos, rolos de espuma, canos de PVC facilmente adquiridos ou construídos pelos pais. Para finalizar cada encontro era discutida e praticada partes da massagem Shantala, ao som de uma música ambiente e com a utilização de óleo de massagem. IMPACTOS: A oficina de estimulação psicomotora e sensorial na Síndrome de Down reforça com os pais a importância das terapias convencionais realizadas por profissionais especializados, a exemplo do fisioterapeuta, bem como a importância do conhecimento e participação dos pais desta estimulação em ambiente domiciliar potencializando o desenvolvimento da criança. Além disso, reforça o vínculo dos pais com os seus filhos durante a execução dos exercícios e da massagem. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Conclui-se que a fisioterapia tem um importante papel no auxílio ao desenvolvimento psicomotor e sensorial de crianças com Síndrome de Down, bem como no treinamento e orientação dos pais destas crianças favorecendo o ganho de novas habilidades sensoriais e motoras e a independência funcional.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.