PRÁTICAS CORPORAIS NA ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE: A EXPERIÊNCIA DA INTEGRAÇÃO ENTRE ENSINO DA FISIOTERAPIA EM SAÚDE COLETIVA, SERVIÇO E COMUNIDADE

Tarsila Figueiredo Ferreira, Estela Rozeno dos Santos, Caíque Sales Melo, Eduarda Barbosa de Barros, Ana Victória Baião Guimarães, Vanessa Salgado, Jorge Henrique Saldanha, Milena Maria Cordeiro de Almeida

Resumo


INTRODUÇÃO: As Práticas Corporais ou desenvolvimento de atividades físicas integram as ações prioritárias da Política Nacional de Promoção da Saúde, Ministério da Saúde, através da rede básica de atenção á saúde. O desenvolvimento dessas estimulam a percepção corporal, levam á melhoria da qualidade de saúde e de vida e atuam na promoção á saúde, prevenção e auxílio no tratamento de doenças, contribuindo para a integração social e humanização dos serviços de saúde. O objetivo do presente trabalho é relatar a experiência de grupo de Práticas Corporais realizado em área coberta pela Atenção Básica do município de Salvador. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: O grupo de Práticas Corporais foi idealizado na parceria entre graduação em Fisioterapia, Universidade Federal da Bahia e Unidade de Saúde da Família do Garcia, com o objetivo de promover a saúde através do incentivo á prática de atividade física, integração social e valorização da praça do bairro como espaço público de convivência. O grupo de Práticas Corporais, apesar de não ter público alvo específico, tem participação majoritária de aproximadamente 20 senhoras com idade entre 50 e 90 anos. O grupo foi criado em 2014 e atualmente acontece nas manhãs de segundas e quartas, sob a responsabilidade das turmas de graduação em Fisioterapia, nos componentes curriculares Fisioterapia em Comunidades e Estágio Supervisionado na Atenção Básica á Saúde, com o apoio da fisioterapeuta do Núcleo de Apoio á Saúde da Família do território e dos estudantes extensionistas da Liga Acadêmica de Fisioterapia em Saúde Coletiva (LAFISC). As práticas corporais propostas são atividades de treino funcional e de equilíbrio, exercícios cognitivos, dança, pilates, exercícios de alongamento e relaxamento, além de diálogos sobre prevenção de agravos específicos, ao exemplo da Prevenção da Incontinência Urinária e Câncer de Mama. IMPACTOS: Observa-se uma melhora gradativa no desempenho das participantes na execução as práticas corporais, com relatos de maior autonomia e segurança nas atividades da vida diária, além da riqueza da experiência de convívio social e ocupação de espaço público urbano. Para os estudantes, o grupo tem representado uma oportunidade de escuta, acolhimento, comunicação em saúde, além da aplicação de técnicas específicas da fisioterapia. CONSIDERAÇÕES FINAIS: O grupo tem alcançado seu objetivo de incentivar a prática de atividades físicas e cuidados com o corpo e saúde, além de promover acolhimento, integração social e estabelecimento de redes de solidariedade no território. A proposta também foi ampliada para outra Unidade de Saúde da Família do território, aumentado as possibilidades de participação da comunidade no grupo e inserção de estudantes. A integração das atividades de ensino e extensão apontam a ampliação da capacidade crítica, criatividade, compreensão, humanização e inovação das respostas aos problemas.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.