SAÚDE DO IDOSO: EXPERIÊNCIAS NA ATENÇÃO BÁSICA

Vanessa Lôbo de Carvalho, Ana Raquel Mourão Carvalho, Vivianne de Lima Biana, Ana Larissa Costa de Oliveira, Augusto César Alves de Oliveira

Resumo


INTRODUÇÃO: A mudança do perfil populacional com aumento da expectativa de vida devido a queda da fecundidade e redução da mortalidade em todos grupos etários nos exige mudanças nos serviços de saúde para adequação a esse público. Além da adequação dos serviços os profissionais devem possuir educação permanente para o desempenho de suas atividades laborais. A atenção básica é o nível de complexidade que utiliza a tecnologia leve e que é responsável por 85% da resolutividade dos problemas de saúde. A atenção básica deve atuar na integralidade do cuidado com medidas promocionais de proteção específica, de identificação precoce de seus agravos mais frequentes e sua intervenção e medidas de reabilitação objetivando a melhora do convívio familiar e social. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: As ações voltadas na saúde do idoso na atenção básica ocorrem na integralidade do cuidado com grupos de promoção da saúde e prevenção de doenças (grupo de mulheres idosas rendeiras e grupo de pescadores- homens idosos) e atividades de reabilitação com visitas domiciliares. Essas ações são desenvolvidas por alunos de fisioterapia, fonoaudiologia e terapia ocupacional que estão no estágio curricular obrigatório integrado da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas. IMPACTOS: A vivência dos alunos na atenção básica permitiu identificar os condicionantes e determinantes de saúde do idoso, ao conhecer seu papel no controle social ao liderarem os grupos, associações (rendeiras) e colônias (pescadores), conhecer as barreiras ambientais, a cultura, a história do bairro, condição econômica e relações familiares e com a comunidade que irão interferir no processo de adoecimento do idoso. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A experiência da saúde do idoso na atenção básica é importante para a formação do profissional de saúde por permitir trabalhar na integralidade do cuidado e aproximar os alunos do processo saúde doença ampliando o olhar para as especificidades do público idoso.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.