SEMINÁRIO DE MOBILIZAÇÃO PRECOCE: UM OLHAR MULTIDISCIPLINAR

Sabatha Naira Barros Santopietro Cunha, Patrícia Aparecida Vieira, Giselle Leal de Almeida, Carolina Bastos Novaes

Resumo


INTRODUÇÃO: A mobilização precoce é considerada elemento fundamental na maioria das condutas de assistência da fisioterapia em pacientes internados em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), trazendo inúmeros benefícios aos pacientes. Tendo em vista a relevância desse assunto, foi realizado pela equipe de Fisioterapia a Semana da Mobilização Precoce no Hospital e Maternidade Vital Brazil, finalizando com um Seminário de Mobilização Precoce: Um Olhar Multidisciplinar e exposição fotográfica, denominada RESISTÊNCIA, sendo a 1» exposição fotográfica do estado de Minas Gerais de pacientes em tratamento na UTI. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: A equipe de Fisioterapia, do Hospital e Maternidade Vital Brazil, vem continuamente envidando esforços para estimular a mobilização precoce de pacientes internados na UTI. Alguns estudos tem comprovado que a mobilização e outras intervenções fisioterapêuticas podem contribuir para reduzir o tempo de internação, otimizando sua funcionalidade. Considerando como fator preponderante para o sucesso dessa terapêutica, o envolvimento de toda a equipe de profissionais, foi implementado o protocolo de mobilização precoce e iniciado um trabalho de conscientização dentro da UTI junto á equipe multidisciplinar e a direção do Hospital. A partir dessa demanda, foi elaborado o projeto, SEMINÁRIO DE MOBILIZAÇÃO PRECOCE: UM OLHAR MULTIDISCIPLINAR, juntamente com Exposição fotográfica e apresentado á Direção do Hospital. O objetivo do projeto era sensibilizar a equipe para a importância da eficácia da mobilização, promover engajamento de todos os profissionais envolvido no tratamento do paciente, desenvolvendo práticas colaborativas no ambiente de trabalho, além de desmistificar a mobilização em UTI. Tivemos a permanência de um fotógrafo profissional na Unidade de Terapia Intensiva para coleta das imagens para exposição fotográfica, após assinatura do Termo de Consentimento pelos pacientes e/ou familiares. As ações desenvolvidas junto á equipe foram palestras educativas aos profissionais da saúde e familiares dos pacientes internados, criação de um TIME DE MOBILIZAÇÃO, composto pela equipe de Fisioterapia, que abordou pacientes selecionados para serem mobilizados nas Unidades de Internação e UTI. Finalizamos a semana da mobilização com um evento na Fundação Aperam Acesita, com Palestrante externo convidado, seguido de uma Apresentação Cultural e a abertura da Exposição fotográfica, RESISTÊNCIA. IMPACTOS: Com o protocolo em andamento, registramos boa evolução nos pacientes submetidos á mobilização, bem como adesão importante de todos os profissionais envolvidos, estimulando o trabalho multidisciplinar e o desenvolvimento de competências colaborativas. Tiveram presentes no evento de encerramento, profissionais de saúde representantes de todos os hospitais do Vale do Aço e coordenadores do curso de Fisioterapia da Universidade Unileste e Faculdade Pitágoras, parceiros importantes na sensibilização e disseminação da mobilização precoce. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A mobilização precoce em UTI ainda é vista com muita restrição pela equipe hospitalar porém tem encontrado respaldo científico, demonstrando sua eficácia. Além disso, o ambiente da UTI sempre foi considerado um lugar de morte por familiares e pacientes. Com a exposição foi possível desmitificar essa imagem, sensibilizando o público para a importância do Cuidado precoce na UTI, da humanização desse espaço, da importância do trabalho multiprofissional, bem como os benefícios do trabalho da Fisioterapia Hospitalar á população do Vale do Aço.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.